Assalto em Vidal Ramos é o terceiro grande roubo a banco no Vale do Itajaí em 2019

Casos são semelhantes por envolver uso de reféns, armas de longo calibre e incêndio em veículos.

Enviar no WhatsApp
Assalto em Vidal Ramos é o terceiro grande roubo a banco no Vale do Itajaí em 2019

Assalto em Vidal Ramos também teve escudo humano durante a ação criminosa - Foto: Redes Sociais

 

O assalto a duas agências bancárias em Vidal Ramos, no Alto Vale do Itajaí, na manhã desta quarta-feira (4), é o terceiro crime semelhante registrado na região em 2019. O primeiro ocorreu em 1º de março, quando criminosos atacaram uma agência do Banco do Brasil e uma cooperativa de crédito em Mirim Doce. Já em setembro, no dia 6, uma quadrilha assaltou uma agência do Bradesco na Itoupava Central, em Blumenau.

Os três casos tem características semelhantes e são classificados pela polícia como "Novo Cangaço": os bandidos atuam fortemente armados, usam reféns como escudo e praticam atos como atear fogo em veículos. Os crimes também ocorreram no período da manhã, durante o horário de funcionamento das agências.

Geralmente as ações ocorrem em cidades pequenas, com menos policiamento e baixos índices de criminalidade — o assalto à agência no bairro blumenauense destoa neste quesito. No caso de Vidal Ramos, os criminosos ainda queimaram um caminhão para bloquear a passagem de veículos na SC-110 e facilitar a fuga.

O uso de violência também é comum nesses casos, com diversos disparos para o alto. Por vezes há feridos, como nesta quarta-feira, quando dois homens foram baleados durante a ação criminosa nas agências de Vidal Ramos — um deles, inclusive, foi levado como refém pelos criminosos.

Os assaltantes de Mirim Doce foram todos capturados ou mortos em um cerco de seis dias feito pelo Comando de Operações de Busca, Resgate e Assalto (Cobra) da Polícia Militar. Já os criminosos que atuaram no assalto em Blumenau seguem, em tese, foragidos, com a Polícia Civil alegando que as investigações do caso estão avançadas e que não pode detalhar a estratégia com risco de comprometer a investigação.

 

Ação violenta também no Aeroporto Quero-Quero

Além dos três casos de roubos em agências bancárias, o Vale do Itajaí também teve outro crime marcante neste ano: o assalto no Aeroporto Quero-Quero, em Blumenau. Os criminosos atiraram contra três carros-fortes que faziam a troca de malotes de dinheiro com um avião que veio de Curitiba na tarde do dia 14 de março. Foram levados R$ 9,8 milhões.

Durante a troca de tiros com os vigilantes, eles acertaram dois funcionários da empresa de transporte de valores e uma mulher, que trabalhava em uma empresa têxtil ao lado do aeroporto. Edivania Oliveira, de 22 anos, morreu após ser atendida pelos socorristas. Nesse período, três suspeitos foram presos.

 

Por Redação Santa

NSC Total

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo