Veja como votaram os oito candidatos ao governo de Santa Catarina

Veja como votaram os oito candidatos ao governo de Santa Catarina

Foto: Felipe Carneiro / DC / DC

 

Entre os 5.070.212 eleitores catarinenses estão os oito candidatos ao governo do Estado. Quase todos eles compareceram aos locais de votação ainda pela manhã e registraram seus votos sem problemas. Confira abaixo como foi:

Comandante Moisés (PSL)

Até o momento da publicação o candidato ainda não havia registrado seu voto. A previsão é de que ele vote às 12h30, em Tubarão, no Sul do Estado.

 

Décio Lima (PT)

Candidato Décio Lima, do Partido dos Trabalhadores, após votar em Blumenau

Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense

 

O candidato a governador pelo PT chegou ao seu local de votação às 10h07, no Senac, no bairro Ponta Aguda, em Blumenau. Ele estava acompanhado da mulher e candidata a deputada federal, Ana Paula Lima (PT), do filho André e da nora Renata, além da cadelinha da família, a Anita.

Depois de cumprimentar eleitores, registrou seu voto tranquilamente e falou à imprensa sobre sua expectativa de chegar ao segundo turno.

— Foi uma campanha curta, mas que permitiu se debater as ideias. Represento um processo de mudança e de renovação com propostas claras para termos um Estado que toque a vida do povo catarinense. Estamos animados, é um novo ciclo da política em Santa Catarina.

Décio Lima deverá acompanhar a apuração na sede do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Blumenau.

*Com informações de Carol Passos.

 

Gelson Merísio (PSD)

Merísio vota em SC

Foto: Cleiton Agnoletto / Diário Catarinense

 

O candidato a governador pelo PSD votou às 9h06 na seção 57 da 35ª Zona Eleitoral de Chapecó, no Colégio Estadual Bom Pastor, onde votam outros 9.223 eleitores. Na chegada, o candidato falou sobre o período curto de campanha.

— Não pudemos visitar todos os municípios mas conseguimos debater temas importantes como a segurança pública, que é meu carro chefe na campanha, a televisão foi importante nesse aspecto e no segundo turno pretendemos aprofundar esse debate.

Merísio disse ainda que num segundo turno não vai buscar alianças, mas quem quiser votar nele será bem vindo. De Chapecó ele vai a Xanxerê acompanhar a votação de sua mulher, Márcia Merísio, e depois viaja a Florianópolis onde acompanhará a apuração.

* Com informações de Darci Debona.

 

Ingrid Assis (PSTU)

Foto: Douglas Marcio / DC

 

A candidata do PSTU chegou perto das 9h30 à Escola Dom Jaime de Barros Camara, em Palhoça, onde registrou seu voto na urna. Em entrevista concedida logo na sequência, Ingrid destacou a importância de utilizar a campanha eleitoral como um espaço para construir uma agenda de luta política.

— A campanha foi muito linda, atingimos o nosso objetivo que era conversar com a classe trabalhadora. Saímos com a certeza de que os nossos sonhos não vão ser alcançados nas urnas, por isso é preciso que a classe trabalhadora, os mais pobres e os operários se organizem para fazer uma greve geral para que de fato possamos construir juntos uma nova sociedade.

* Com informações de Douglas Marcio.

 

Jessé Pereira (Patriota)

Foto: Luiz Carlos / DC

 

O candidato a governador pelo Patriota votou pela manhã em Camboriú. Ele chegou à seção eleitoral acompanhado da família e se disse confiante no resultado da eleição. 

— As pesquisas mostraram que havia muitos indecisos — comentou.

Jessé Pereira afirmou também ter feito uma campanha discreta, com poucos recursos financeiros, mas que acredita que o balanço foi positivo.

*Com informações de Luiz Carlos.

 

Leonel Camasão (PSOL)

Foto: Mariana Faraco / DC

 

O candidato a governador pelo PSOL votou às 9h12 no Instituto Estadual de Educação, em Florianópolis. Ele chegou ao local acompanhado da mulher Rebecca e dos dois filhos, além dos candidatos ao legislativo Elson Pereira e Afrânio Boppré.

Depois de votar, Camasão disse que as eleições deste ano são atípicas e que sua campanha foi importante para mostrar que "o PSOL vem em uma onda de crescimento e pode vir a governar Santa Catarina".

— Minha expectativa é dizer não ao fascismo, ao ódio e à violência. Independente do resultado, precisamos combater essa ascensão conservadora no Brasil. Lembro que Hitler e Mussolini foram eleitos pelo povo. Não podemos cometer esse erro aqui no Brasil.

*Com informações de Mariana Faraco.

 

Mauro Mariani (MDB)

Foto: Cinthia Raasch / DC

 

O candidato ao governo pelo MDB votou pela manhã na Escola de Educação Básica Giovani Pascoalini Faraco, no bairro Santo Antônio, em Joinville. Ele esteve , acompanhado da esposa, Cinthya Mariani, cumprimentou eleitores no caminho até a seção e aguardou poucos minutos para entrar na sala. 

Mariani levou cerca de dois minutos, entre os votos e poses para fotógrafos e cinegrafistas que registraram sua votação. Ele está esperançoso em ir ao segundo turno e satisfeito com a campanha que realizou. 

— A expectativa é a melhor possível. Andamos por toda Santa Catarina, levamos nossa mensagem é, por isso, a expectativa é positiva. 

Mariani deve passar as horas seguintes com a família, em casa. Próximo ao horário do término da votação, o candidato vai se dirigir ao diretório da campanha, também em Joinville, para acompanhar a apuração. Junto dele estará seu vice, Napoleão Bernardes (PSDB), que votou em Blumenau mais cedo.

*Com informações de Cinthia Raasch.

 

Rogério Portanova (Rede)

Foto: Edsoul / DC

 

O candidato a governador pela Rede chegou à Escola Básica Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes, no Campeche, em Florianópolis, por volta das 8h30. Ele ficou mais de 30 minutos na fila até que pudesse registrar seu voto.

A Escola Brigadeiro Eduardo Gomes, no Campeche é o maior local de votação em Florianópolis, com 8.636 eleitores, 22 seções e 3 urnas para justificar o voto.

*Com informações de Edsoul.

 

Por Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE