Redução de carga tributária está relacionada às reformas, defende Rodrigo Maia

Presidente da Câmara dos Deputados participou de evento promovido pela ACAERT.

Enviar no WhatsApp
Redução de carga tributária está relacionada às reformas, defende Rodrigo Maia

Fotos: Fernando Wiladino e Bruno Collaço

 

A reforma administrativa, somada à da Previdência, possibilitará no futuro a redução da carga tributária brasileira, uma das maiores do mundo, defendeu o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), durante palestra promovida pela Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (ACAERT), nesta sexta-feira (30), na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). “Sem essas reformas que visam reduzir despesas da máquina não haverá redução da carga tributária”, afirmou. Maia foi o terceiro convidado do ‘Momento Brasil’, série de eventos que a ACAERT promoverá com personalidades nacionais até o final do ano.

O parlamentar chegou na Assembleia às 11 horas e foi recebido pelo presidente da Alesc, deputado Júlio Garcia (PSD) e pelo presidente da ACAERT, Marcello Corrêa Petrelli entre outras autoridades.  Após breve encontro com dirigentes da entidade e convidados, o presidente da Câmara concedeu entrevista coletiva no plenarinho. Ele falou sobre reforma tributária, pacto federativo, diminuição de partidos e queimadas.

O evento foi prestigiado pelo ex-governador do Estado, Jorge Bornhausen e pelos presidentes das entidades do Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina – COFEM, que fizeram uma defesa da simplificação do sistema tributário brasileiro. Pela bancada federal, estiveram presentes os senadores Esperidião Amin (PP) e Jorginho Mello (PR) e os deputados federais Angela Amin (PP), Rodrigo Coelho (PSB), Daniel Freitas (PSL), Coronel Armando (PSL), Rogério Mendonça Peninha (MDB), Darci de Mattos (PSD), que foi o articulador da vinda do Maia a Santa Catarina. Os deputados Sérgio Mota (Republicanos), Marlene Fengler (PSD), Coronel Mocelin (PSL), Ivan Naatz (PV) e Kennedy Nunes (PSD) representaram a bancada estadual.  

Ao todo, 400 convidados ouviram o presidente da Câmara dizer que o país “deixou de ter um orçamento que represente a sociedade”. “Esse Congresso é reformista. O Estado brasileiro precisa voltar a servir a todos, e não a poucos”, afirmou. Maia afirmou que é contra o retorno da CPMF. O parlamentar acredita que mesmo a simplificação dos impostos, sem necessariamente redução da carga tributária neste momento, já poderia gerar crescimento econômico. “O impacto da reforma tributária vai trazer mais recursos do que a da Previdência”.

Já o presidente da FIESC, Mário Cesar de Aguiar, defendeu a diminuição do tamanho do Estado brasileiro e disse que a reforma tributária tem que contemplar o setor produtivo, a sociedade e as necessidades do governo. “Precisamos ser um país competitivo e essa carga tributária elevada tira a competitividade da produção nacional”, afirmou Aguiar, lembrando que esta é uma das reformas mais difíceis, por isso tem que ser bem discutida com a sociedade.

Momento Brasil - O presidente da Câmara é a terceira autoridade a participar do Momento Brasil. O primeiro foi o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, que esteve em Santa Catarina no dia 19 de julho, e o presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu representantes da Mídia Regional no dia 22 de agosto, em Brasília. Em 11 de outubro, o convidado será o secretário Nacional de Segurança Pública, general Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira.

 

Assessoria de Imprensa ACAERT

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo