Leonel Pavan (PSDB) é o novo vice-presidente da Alesc

Os rumores eram de que Saretta ou Mota seriam eleitos, porém, a eleição marcou uma reviravolta.

Enviar no WhatsApp
Leonel Pavan (PSDB) é o novo vice-presidente da Alesc

O deputado Leonel Pavan (PSDB) (Foto: Divulgação)

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina retomou nesta terça-feira (11), as sessões plenárias, que estavam suspensas após a primeira pausa no período eleitoral. E já na primeira sessão, os parlamentares escolheram o novo vice-presidente, que contrariando rumores e causando uma reviravolta no cenário, elegeram o deputado Leonel Pavan (PSDB), que vai exercer o mandato até o fim de 2018.

O cargo havia ficado vago com a posse do novo presidente, Silvio Dreveck (PP), após a morte de Aldo Schneider (MDB), no dia 19 de agosto. De acordo com o regimento, não houve necessidade de uma nova eleição, pois Dreveck foi eleito presidente em fevereiro de 2017, tendo exercido o cargo até fevereiro de 2018 e renunciou ao cargo para cumprir acordo com Schneider, de rodízio no comando do Legislativo.

Os deputados estaduais teriam até cinco sessões para a escolha do vice, se três ou mais deputados quisessem disputar o cargo, mas, como havia somente um candidatos à vaga, Pavan ficou com o cargo.

A eleição marcou uma reviravolta nas articulações, que colocavam Neodi Saretta (PT) como favorito e Manoel Motta (MDB), que assumiu definitivamente uma cadeira no Legislativo catarinense com a morte de Aldo Schneider, correndo por fora. Pavan foi eleito com 35 votos, com quatro ausências e uma abstenção (do deputado Dirceu Dresch – PT). Pavan não é candidato a nenhum cargo nestas eleições e vai se despedir da carreira política ao final deste mandato.
Saretta desistiu da disputa em discurso à tribuna, ele que era apoiado pelo deputado Gelson Merisio (PSD), candidato ao Governo do Estado. E outro gesto que facilitou a indicação de Pavan, partiu do deputado Manoel Mota (MDB), que também abriu mão de concorrer.

Peso

De acordo com informações de Roberto Azevedo, a articulação para evitar que o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) ficasse com dois adversários no comando da pauta, teve papel decisivo do deputado Valdir Cobalchini (MDB), e do deputado Marcos Vieira. No início da tarde, Merisio chamou Pavan para uma conversa em seu gabinete, quando ficou claro que a ideia de evitar uma disputa iria prevalecer.

Aprovado fim de auxílio médico

Por unanimidade de votos, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alesc, aprovou na manhã desta terça-feira (11), o projeto que pretende acabar com o auxílio médico pago aos deputados estaduais.

A medida foi proposta pela deputada Ana Paula Lima (PT), que lembrou que somente em um ano, foram gastos mais de R$ 3 milhões com o tratamento contra o câncer do deputado Aldo Schneider.

 

“Todos devem ter direito ao acesso dos melhores tratamentos disponíveis, entretanto, chama atenção ao fato de que tal valor seria suficiente para tratar 5.000 pacientes durante 15 dias no Cepon (Centro de Pesquisas Oncológicas), em Florianópolis, com cirurgias, exames, quimioterapias e radioterapias inclusivas”, disse a parlamentar na justificativa da medida.

 

Este foi o primeiro passo do processo de tramitação na Casa. Se aprovado, seguirá para as comissões responsáveis pelo tema, antes de chegar ao Plenário. Nesta primeira etapa, o projeto foi avaliado pelos deputados Jean Kuhlmann (PSD), Valdir Cobalchini (MDB), Darci de Matos (PSD), Dirceu Dresch (PT), João Amin (PP), Marcos Vieira (PSDB), Mauro de Nadal (MDB), Ricardo Guidi (PSD) e Rodrigo Minotto (PDT).

 

Por Elisiane Maciel

Diário do Alto Vale

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo