"Há tendência de aumento da abstenção", afirma presidente do TRE-SC

Foto: Tiago Ghizoni / Diário Catarinense

 

Após a manhã de votação, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC), desembargador Ricardo Roesler, fez um balanço parcial do pleito no Estado. Ele considera que as situações de risco foram controladas pelo TRE, de forma que as eleições ocorrem dentro da normalidade, com exceção de alguns casos que ele considera isolados. Um deles aconteceu no Sul do Estado, onde um homem destruiu uma urna eletrônica com marretadas. 

Apesar das filas encontradas em alguns colégios eleitorais, inclusive com relatos de pessoas que passaram mais de uma hora para conseguir votar, Roesler considera que há tendência de aumento de abstenção nesta eleição. Porém, evitou falar em números. 

- Há uma desilusão dos eleitores com a classe política. Trabalhamos para levar informação e evitar isso, mas é uma realidade. E a abstenção deve ser maior na proporcional, já que há mais interesse do eleitor pelas eleições majoritárias - afirmou o presidente do TRE.

Também há relatos de eleitores que tiveram problema no voto para o cargo de presidente. Conforme Roesler, algumas pessoas ficam ansiosas para votar e apertam as teclas muito rápido e sem conferir o voto, trocando os números de alguns cargos. Como são seis votos, o presidente do TRE recomenda que os eleitores tenham calma e aguardam a confirmação do voto antes de apertarem as teclas para outros cargos.

O desembargador também afirmou que o TRE recebeu relatos sobre problemas de eleitores com a biometria, mas que são casos isolados. Os detalhes de cada sessão devem ser divulgados apenas na ata com o fechamento da urna.

Contagem dos votos deve ser concluída até 21h

A expectativa do TRE-SC é ser um dos primeiros estados a terminar a contagem dos votos, com previsão de encerramento entre 20h30 e 21h. Ao contrário da votação pra presidente, que deve ter a contagem divulgada a partir das 19h por conta do fuso horário do Acre, em Santa Catarina as urnas devem ser totalizadas logo após as 17h.

- Apesar da previsão, a velocidade não está entre as prioridades do TRE. Trabalhamos para ter uma eleição transparente, segura e eficiente. São os nossos três pilares - conclui o desembargador.

 

Por Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE