Polícia aponta que amigos premeditaram morte de grávida encontrada carbonizada em SC

Adriana de Sousa Nascimento estava no 7º mês de gestação e havia pedido ajuda a dupla de amigos para vender carro.

Enviar no WhatsApp
Polícia aponta que amigos premeditaram morte de grávida encontrada carbonizada em SC

Foto: Polícia Civil/Reprodução

 

A Polícia Civil de Itajaí, no Litoral Norte catarinense, investigou e apontou dois homens como suspeitos na morte de uma grávida encontrada morta e carbonizada em 29 de agosto. O bebê também morreu. Os suspeitos eram amigos da vítima.

Segundo as investigações, Adriana de Sousa Nascimento, de 36 anos, estava no sétimo mês de gestação e havia pedido ajuda à dupla para vender um carro.

Um dos homens está preso e outro seguia foragido até o início da tarde desta terça-feira (14). Os dois foram indiciados por homicídio qualificado, aborto e ocultação de cadáver. Um deles confessou participação no crime. 

 

O crime

De acordo com a polícia, o crime foi premeditado. Após a venda do carro, os homens repassaram apenas parte do valor a Adriana e ficaram devendo o restante, cerca de R$ 6 mil.

Segundo as investigações, no dia do crime, os homens marcaram um encontro com a vítima dizendo que iriam fazer o pagamento da dívida. Porém, quando ela entrou no carro, foi estrangulada até a morte por um deles, que estava no banco de trás do veículo.

Após o crime, os suspeitos levaram o corpo da vítima para uma área de vegetação, no bairro Laranjeiras. Eles atearam fogo e utilizaram um colchão para tentar esconder Adriana.

Um morador do local achou o corpo em 29 de agosto e acionou a polícia. A investigação não informou se o crime ocorreu no mesmo dia em que Adriana foi encontrada.

 

Prisão preventiva e indiciamento

Após o crime, um dos suspeitos fugiu para o Paraná, enquanto o outro permaneceu em Itajaí. Durante as investigações, eles foram identificados pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) e tiveram o pedido de prisão preventiva acatado pela Justiça de Santa Catarina.

O homem que estava no Paraná foi localizado e encaminhado ao Presídio de Itajaí, onde seguia detido até esta terça. Segundo a Polícia Civil, durante o depoimento ele confessou o crime. O outro suspeito, que ficou no estado, segue foragido.

 

Localização do corpo

Em 29 de agosto, um morador caminhava pela Rua João Rodolpho Reinert quando sentiu o cheiro forte de queimado vindo do mato.

Ele foi ver o que estava ocorrendo e encontrou a mulher sem vida caída no chão. Em seguida, ele chamou as autoridades.

 

Por G1 SC e NSC

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo