Megaoperação prende 3 prefeitos em Santa Catarina. Mais de 30 cidades são alvo; 3 no Alto Vale

Gaeco e Grupo Anticorrupção do MP cumprem mandados de prisão preventiva e busca e apreensão em operação que investiga coleta e destinação de lixo

Enviar no WhatsApp
Megaoperação prende 3 prefeitos em Santa Catarina. Mais de 30 cidades são alvo; 3 no Alto Vale

Prefeitos de Pescaria Brava, Papanduva e Barra do Sul presos nesta terça (6) - Foto: Redes Sociais

 

Três prefeitos de cidades de Santa Catarina foram presos preventivamente nesta terça-feira (6), em uma megaoperação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e do Grupo Especial Anticorrupção (GEAC) do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

A investigação está relacionada a suspeita de fraude em licitação, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro no setor de coleta e destinação de lixo em diversas regiões de Santa Catarina.

Os políticos são investigados por suspeita de corrupção.

 

Foram presos:
Deyvison Souza, de Pescaria Brava, Sul catarinense;
Luiz Henrique Saliba, de Papanduva, no Norte;
Antônio Rodrigues, de Balneário Barra do Sul, no Litoral Norte.

A operação "Mensageiro" cumpre 15 mandados de prisão preventiva e 108 de busca e apreensão nas regiões Norte, Sul, Vale do Itajaí e Serra.
Além do cumprimento de mandados, a operação bloqueia os bens de 25 empresas e 11 pessoas. São 96 alvos de buscas, entre órgãos públicos, empresas e residências particulares.

O prefeito Deyvison Souza foi preso preventivamente em Brasília nesta terça, em viagem oficial. A prisão foi confirmada pelo advogado Pierre Vanderlinde. A defesa do prefeito informou, no entanto, que ainda não teve acesso à íntegra do processo.

Em Papanduva, o prefeito, Luiz Henrique Saliba foi preso na operação. O advogado Manolo Del Omo, que faz a defesa do político, disse ao g1 que "nós estamos trabalhando para buscar elementos para pedir a revogação da prisão preventiva ou a conversão em liberdade provisória".

O prefeito Antônio Rodrigues, de Balneário Barra do Sul, também foi preso. O g1 não conseguiu contato com a defesa dele.

 

Municípios

De acordo com o MPSC, os mandados de busca e apreensão em órgão públicos têm como objetivo colher provas relacionas a contratos nos seguintes 20 municípios:

Lages
Imaruí
Pescaria Brava
Braço do Norte
Tubarão
Capivari de Baixo
Agrolândia
Imbituba
Ibirama
Presidente Getúlio
Três Barras
Corupá
Itapoá
Schroeder
Guaramirim
Papanduva
Balneário Barra do Sul
Major Vieira
Canoinhas
Bela Vista do Toldo

De acordo com o MPSC, os mandados de busca e prisão são cumpridos em Joinville, Três Barras, Mafra, Brusque, Campo Alegre, Pien (PR), Lages, Imbituba, Pescaria Brava, Canoinhas, Laguna, Imaruí, Braço do Norte, Tubarão, Capivari de Baixo, Agrolândia, Apiúna, Ibirama, Presidente Getúlio, Corupá, Itapoá, Barra Velha, Schroeder, Guaramirim, Papanduva, Balneário Barra do Sul, Major Vieira, Bela Vista do Toldo, além do Distrito Federal.



Por Clarìssa Batìstela, Joana Caldas e Dagmara Spautz, g1 SC e NSC

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo