Crime em Apiúna é o quinto grande assalto neste ano no Vale do Itajaí

Desde março, foram registrados casos semelhantes envolvendo quadrilhas organizadas em Vidal Ramos, Blumenau e Mirim Doce.

Enviar no WhatsApp
Crime em Apiúna é o quinto grande assalto neste ano no Vale do Itajaí

Agência de Apiúna ficou destruída após a ação criminosa - Foto: Patrick Rodrigues / NSC Total

 

Aconteceu mais uma vez: o roubo a uma agência bancária do Bradesco em Apiúna na tarde desta terça-feira foi o quinto grande assalto no Vale do Itajaí apenas em 2019. O caso ocorreu menos de duas semanas após criminosos levarem dinheiro de duas agências bancárias em Vidal Ramos, no Alto Vale do Itajaí, e apenas alguns meses depois de crimes em Blumenau e Mirim Doce.

Dos cinco assaltos, quatro foram em agências bancárias e tiveram o mesmo procedimento, conhecido pelos policias como "Novo Cangaço". Criminosos fortemente armados usando reféns como escudo e ateando fogo em veículos para dificultar a perseguição dos policiais. No caso desta terça, uma das vítimas chegou a ser levada sobre o capô do carro dos assaltantes durante a fuga.

Uma das poucas diferenças do assalto em Apiúna foi a escolha pelo horário da tarde, cerca de uma hora antes do fechamento da agência. Nos casos de Mirim Doce, em 1º de março, de Blumenau, em 6 de setembro, e Vidal Ramos, no dia 4 de dezembro, o crime foi cometido pela manhã, por volta das 11h.

Assim como nos demais assaltos, os criminosos de Apiúna trancaram o fluxo de veículos na BR-470 após incendiar um Ford Fiesta utilizado durante a ação. O uso de violência também se repetiu, com quatro pessoas feitas reféns e um policial que estava dentro da viatura sendo baleado na mão por um dos atiradores.

Possível relação entre os crimes

Um dos suspeitos foi preso pela Polícia Civil ainda nesta terça, poucas horas após o assalto. Nas investigações dos crimes nas agências bancárias de Blumenau e Vidal Ramos, ainda não há informações de que os assaltantes foram presos. Já no caso de Mirim Doce, todos os suspeitos foram capturados ou mortos em um cerco de seis dias feito pela Polícia Militar.

A Polícia Civil não descarta a hipótese de que a mesma quadrilha esteja atuando na região. O delegado de Ascurra, Ronnie Reis Esteves, afirmou que há possibilidade dos crimes estarem relacionados.

Ele afirma que há ligação com o assalto a outra agência bancária, do Sicoob, no dia 13 de outubro de 2019. Naquele caso, dois homens arrombaram a cooperativa de crédito durante a madrugada usando pés de cabra e dinamites. Um dos criminosos chegou a ser preso pela Polícia Militar.

Semelhanças com o roubo no Aeroporto

O assalto ao Aeroporto Quero-Quero, em Blumenau, tem diversas semelhanças com os demais crimes, apesar de não ter sido em uma agência bancária. Os criminosos atiraram contra três carros-fortes que faziam a troca de malotes de dinheiro com um avião que veio de Curitiba.

?Edivania Oliveira, de 22 anos, trabalhava em uma empresa têxtil ao lado do aeroporto e morreu após ter sido atingida por uma bala perdida. Outra duas pessoas ficaram feridas e R$ 9,8 milhões foram levados pelos criminosos. Nesse período, três suspeitos foram presos.

 

Por Redação Santa

NSC Total

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo