Bloqueio na BR-470 tem resistência de manifestantes e muita confusão; com Tropa de Choque precisando intervir

Um empresário foi detido e policiais ficaram feridos; até uma churrasqueira foi arremessada contra à polícia

Enviar no WhatsApp
Bloqueio na BR-470 tem resistência de manifestantes e muita confusão; com Tropa de Choque precisando intervir

Foto: PRF


Passados 8 dias desde que o resultado das eleições para presidente no Brasil foi divulgado, muitos pró-bolsonaristas seguem insatisfeitos com o resultado das urnas e, se manifestando. 

O 7 de novembro entra para a história com o dia mais tenso já vivido na cidade de Rio do Sul. De um lado, manifestantes; de outro, PRF e Polícia MIlitar. 

Ainda na última semana, nas redes sociais, um chamado publicado e replicado por muitos, convocava para uma greve geral nesta segunda-feira (7). Algumas empresas e comércio fecharam as portas.

O dia de trabalho foi transferido para a BR-470, ponto que virou referência para manisfestantes no final da apuração do segundo turno, no domingo (30). Naquele dia, por volta de 20h pessoas começaram a se concentrar no km 139, em um dos principais acessoas a cidade, no bairro Canta Galo.

Por esses dias, houve interdição total e parcial do trânsito na via. Um verdadeiro acampamento com muitas tendas foi montado no pátio da loja Havan. Teve foguetório, buzinaço, a execução do hino nacional centenas de vezes, intercalado com discursos em defesa do Presidente Jair Bolsonaro e a afirmação de fraude nas urnas.

Na sexta-feira (4), uma Força Tarefa conseguiu desobstruir todos os pontos de bloqueio parcial ou total. Em Rio do Sul, houve negociação e a via foi liberada. Mas muitos manifestantes continuaram no pátio da Loja Havan. 

Nas redes sociais, o Presidente Bolsonaro pediu que as estradas fossem liberadas. O anúncio não agradou em Rio do Sul. O grupo começou a perdir então, a intervenção do exército. No sábado (5) e domingo (6), os protestos tomaram as ruas da cidade com buzinaço. 

E, finalmente nesta segunda (7), o maior conflito. O chamado de greve geral trouxe centenas de pessoas para o ponto de concentração em Rio do Sul. Dessa vez, além da BR-470, também foram bloqueadas as marginais. Por momentos, manifestantes faziam um vai e vem interrompendo uma faixa de pedestres e impedindo a passagem de veículos por 15 minutos, num sistema segue/para. 

À tarde, por volta de 15h30, a PRF negociou com o grupo e tudo caminhava para uma dispersão tranquila. Até que, pouco depois, manisfestantes voltaram a ocupar a via, em resposta a busca, pela polícia de pessoas que desobedeceram ordem judicial de não bloquear a rodovia. 

Houve muita confusão com objetos como bancos de plástico, barras de ferro e até uma churrasqueira sendo arremessados contra os policiais. 

A polícia reagiu com gás lacrimogêneo e balas de borracha. Dois policiais foram feridos aos serem atingidos com barras de ferro, um empresário na região foi preso por desacato e algumas pessoas foram atingidas por balas de borracha.   

O protesto só chegou ao fim quando a Tropa de Choque da Polícia Militar entrou em ação. A ordem era levantar acampamento e deixar o local.  

Após muita resistência, o grupo finalmente deixou o local 

 

Por Isabel Caetano/Sintonia FM

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo