MPSC pede na Justiça que sobrinho e prefeitura de Tijucas paguem acolhimento de idosa abandonada na porta de asilo

Senhora está com uma família substituta, que só vai abrigá-la até esta sexta-feira, informou o Ministério Público.

Enviar no WhatsApp
MPSC pede na Justiça que sobrinho e prefeitura de Tijucas paguem acolhimento de idosa abandonada na porta de asilo

Foto: Reprodução/Facebook

 

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) pediu na quarta-feira (18) à Justiça que o município de Tijucas e o sobrinho da idosa de 64 anos abandonada em frente a um asilo em Brusque, no Vale do Itajaí, paguem pelo acolhimento dela em uma instituição. A representação liminar ainda não tinha sido avaliada pela Justiça até o começo da tarde desta quinta-feira (19).

A idosa foi abandonada na noite da última quarta-feira (11) em um asilo particular. Imagens de câmera de segurança mostram um carro indo embora e ela ficando na porta do local sozinha, no frio de cerca de 10ºC. O dono do asilo disse não poder recebê-la e chamou a Polícia Militar, onde ela passou a noite no batalhão. Depois, chegou a voltar na quinta-feira (12) para a casa da família que a deixou, mas já na sexta foi acolhida por uma conhecida.

Nesta quinta, a senhora está na casa de uma família substituta, que poderá ficar com ela até esta sexta-feira (20), segundo o MPSC. A prefeitura de Tijucas afirmou que busca uma vaga em um asilo público.

O MPSC ainda pede à Justiça a aplicação do Estatuto do Idoso, com estudo social na residência do sobrinho da idosa e avaliação da medida protetiva.

Abandono

Nas imagens de câmera de segurança do asilo particular, a idosa aparece descendo do carro com as malas. Na madrugada de quinta, ela teve que passar a noite no quartel da Polícia Militar, depois que o dono do asilo disse não ter como recebê-la.

A idosa morava há três anos com um sobrinho e a mulher dele. A família, de Tijucas, foi localizada pela Assistência Social de Brusque e voltou para buscar a senhora na quinta-feira.

A idosa não quis gravar entrevista e preferiu não comentar as acusações feitas pelos parentes, que dizem não ter condições financeiras e emocionais para ficar com ela. A senhora veio de Balneário Camboriú, onde morava com uma irmã, para ajudar a cuidar dos filhos do casal.

A Polícia Civil de Brusque abriu inquérito na sexta (13) e pretende terminar a investigação de abandono de incapaz até a próxima semana. A vítima e testemunhas já foram ouvidas.

O sobrinho e a esposa dele devem ser chamados para depor nos próximos dias. Caso comprovado, os parentes poderão ser indiciados por abandono, crime previsto pelo estatuto do idoso com pena de 6 meses a 3 anos de detenção e multa.

 

*com informações G1SC

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo