Celesc investe cerca de R$ 400 milhões no sistema de distribuição em 2020

Enviar no WhatsApp
Celesc investe cerca de R$ 400 milhões no sistema de distribuição em 2020

Foto: Mauricio Vieira / Secom

 

Quando ainda comemorava o Prêmio Aneel de Qualidade 2019, como distribuidora mais bem avaliada do país pelos consumidores entre as empresas com mais de 400 mil unidades consumidoras, a Celesc precisou se reinventar para vencer os desafios de 2020. Em um ano atípico por conta da pandemia de Covid-19, a empresa - que acaba de completar 65 anos - investiu cerca de R$ 400 milhões para garantir a qualidade da prestação do serviço público de distribuição de energia elétrica.

Com gestão estratégica e o trabalho das equipes, a companhia fechou 2020 com os melhores indicadores de continuidade de energia de sua história. Pela primeira vez, o DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) ficou abaixo de 10 horas, e o FEC (Frequência Equivalente de Interrupção de Energia) ficou abaixo de 7,00, considerando uma janela móvel de 12 meses (em novembro/2020 o DEC registrado foi de 9,00 e o FEC 6,64).

Em meio à pandemia, a empresa ainda enfrentou, nos dias 30 de junho e 1º de julho, a passagem do ciclone bomba, considerado o pior evento climático da história da Celesc. Com ventos que atingiram quase 170 Km/h, o ciclone causou grande destruição na rede elétrica de Santa Catarina e gerou perdas de R$ 20,7 milhões. Para recompor a rede, os empregados da Celesc trabalharam 24 horas por dia, para levar energia aos locais de difícil acesso e minimizar o sofrimento da população. No pico do evento climático, cerca de 1,5 milhão de unidades consumidoras ficaram sem energia elétrica na área de concessão da Celesc. Naquele mesmo dia, 300 equipes da empresa e terceirizadas foram mobilizadas e começaram a atuar para mitigar os danos e, já na manhã seguinte, conseguiram restabelecer o sistema para cerca de 750 mil UCs, ou seja, a metade dos clientes afetados.

“Além da pandemia, que ceifou vidas e abalou a economia mundial, tivemos que trabalhar na reconstrução da rede elétrica destruída pelo ciclone bomba que devastou Santa Catarina. O ano foi de desafios e de superação”, reforça o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins.

 


Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Arquivo / Secom

 

Poleto ressalta que, mesmo diante das dificuldades impostas pela pandemia, a Celesc continuou trabalhando de forma intensa para garantir, além do atendimento de qualidade ao mercado, os indicadores exigidos no Contrato de Concessão, apostando em obras estruturantes, capacitação e novas tecnologias. Entre 2019 e 2020, cinco novas subestações foram concluídas e 35 estão sendo ampliadas ou em fase de melhorias. Já as obras e melhorias foram direcionadas para aplicação de redes compactas com cabos protegidos. Na manutenção preventiva, foram intensificados os trabalhos de poda e roçada da vegetação próxima à fiação, que continuam sendo a maior causa de ocorrências no sistema elétrico do estado.

Programa Celesc Rural

O grande destaque do ano foi, novamente, o Programa Celesc Rural. Por meio da iniciativa, até meados de 2021, serão realizadas cerca de mil obras para substituir redes monofásicas nuas por redes monofásicas ou trifásicas com cabos protegidos, em cerca de 2,5 mil quilômetros do território catarinense. Essas ações aumentam a confiabilidade da distribuição de energia elétrica e melhoram a vida do homem no campo. O investimento no Programa é de mais de R$ 151 milhões, sendo R$ 81 milhões já licitados e com obras concluídas e em andamento e outros R$ 30 milhões direcionados à aquisição de religadores automáticos para o campo, que dão mais agilidade ao retorno de energia, em caso de desligamento não programado. Além disso, mais R$ 40 milhões serão lançados para licitação com foco em novas redes. Ao todo, serão beneficiadas 135 mil propriedades rurais catarinenses. As melhorias proporcionadas pelo Celesc Rural possibilitam ao produtor a instalação de equipamentos mais potentes e modernos para as suas atividades, contribuindo para o aumento da produção e trazendo uma nova realidade ao agronegócio, setor que faz de Santa Catarina referência mundial.

Ainda em 2020, o trabalho de combate às fraudes e irregularidades também foi intenso. Em parceria com as Polícias Civil e Militar, o Instituto Geral de Perícias e o Ministério Público, as ações estratégicas realizadas para enfrentar esse tipo de perda envolveram os Núcleos e as Unidades da Celesc em todo o estado, com equipes exclusivas para a fiscalização.

“Sem o trabalho incansável e a dedicação das nossas equipes, em todas as áreas, não teríamos vencido um ano tão difícil. Agora nossa missão é manter os indicadores alcançados e trabalhar, ainda mais, sempre em busca da constante melhoria dos serviços prestados. Depois de tudo que vivemos, com certeza, estamos mais fortes”, conclui o presidente.

Investimentos efetuados pela Celesc

Os resultados positivos conquistados em meio a esse cenário desafiador refletem a soma das ações adotadas ao longo de 2019 e 2020. Conheça algumas abaixo:

Investimentos em distribuição de energia

Em 2020, de cerca de R$ 400 milhões destinados a obras no sistema elétrico na área de concessão da Celesc, aproximadamente R$ 249 milhões foram aplicados na instalação de redes elétricas de média e baixa tensão e R$ 85 milhões em melhorias no sistema elétrico de alta tensão (subestações e linhas de transmissão, com benefícios para o atendimento de todas as regiões).

No ano, os recursos para manutenção do sistema elétrico somam R$ 63,8 milhões, em atividades como a substituição de cabos, postes e equipamentos, ampliando a robustez e a confiabilidade das redes elétricas em todo o estado. No sistema de média e baixa tensão, que possui cerca de 150 mil quilômetros de extensão, foram realizadas ampliações com previsão de, aproximadamente, 105 obras de reforço e novos alimentadores. Até o final de dezembro, as obras vão representar incremento de 1,7 mil quilômetros de rede, boa parte com cabos protegidos, por meio do programa Celesc Rural, citado anteriormente.

 


Nova subestação em São José. Foto: Doia Cercal / Secom

 

Em 2019 e 2020, foram realizadas ampliações, melhorias e finalização de obras em 40 subestações (SEs) e instalados medidores mais precisos em 900 saídas de alimentadores em SEs. Entre os destaques no ano, estão a construção de novas subestações (SEs) de energia elétrica em Araquari, no Norte do estado e, em Palhoça, na região da Grande Florianópolis. Além disso, também foram ampliadas as SEs Garopaba, Canoinhas, Gaspar e Joinville Vila Nova, todas com impacto de cerca de 30% no aumento da energia disponível para as suas respectivas áreas de atuação e, especialmente, na maior confiabilidade do sistema elétrico para o melhor atendimento aos consumidores. Ainda estão por vir a construção das SEs Chapecó Santo Antônio, no oeste catarinense, e Itapema Meia Praia, no litoral, entre outras melhorias.

Entre os investimentos importantes, principalmente para a temporada 2020/2021, está a conclusão de uma nova Linha de Transmissão, em 138mil Volts, entre a subestação Tijucas e as subestações que abastecem o município de Porto Belo, responsáveis pelo atendimento de uma das regiões mais procuradas durante o verão catarinense. Além disso, também foram destinados recursos para os serviços de limpeza de faixa, poda e roçada, tendo em vista que a vegetação que alcança a rede elétrica em temporais é a maior entre todas as causa de ocorrências no sistema, representando 35%.

A rede elétrica também foi inspecionada com “termovisores”, equipamentos que permitem, por meio da análise da temperatura local, identificar preventivamente pontos de desgaste (em chaves, emendas e conexões), que representam risco de falha com o aumento da demanda. A inspeção foi realizada em 77% dos troncos de alimentadores, que somam mais de 6,7 mil quilômetros de rede, e os equipamentos que apresentaram risco foram previamente substituídos.

Digitalização do atendimento comercial

A área comercia da Celesc recebeu cerca de R$ 40 milhões para ações de modernização. A pandemia por Covid-19 acelerou a digitalização de seus serviços que, atualmente, podem ser realizados, quase em sua totalidade, via agência web (no site www.celesc.com.br), pelo aplicativo da Celesc (disponível na App Store e no Google Play), por teleatendimento (0800 048 0120, para assuntos comerciais e 0800 048 0196, para emergências) ou SMS. Além disso, foram remodelados alguns procedimentos, especialmente os que exigiam assinatura e validação em cartório.

Mais geração de energia

Em 2020, a Celesc Geração investiu cerca de R$ 30 milhões na modernização e ampliação do seu parque gerador e em novos negócios. São 18 usinas, sendo 12 unidades próprias e seis com sócios privados, com 118,21 MW de capacidade instalada (106,97 MW) referente ao parque gerador próprio, produzindo energia de forma ininterrupta.

Entre as obras de melhorias está a da Usina Celso Ramos, prevista para ser entregue em 2021, que trará acréscimo de 8,3 MW, equivalente a 147%, da capacidade de geração (de 5,62 MW para 13,915MW). Outras ações de destaque são a modernização dos sistemas de automação da Usina Cedros, em Rio dos Cedros; a reforma no rotor da unidade geradora nº 2 da Usina Salto Weissbach, em Blumenau; a unificação dos sistemas supervisórios para o Centro de Operação da Geração – COG; a instalação de equipamentos automatizados para limpeza de grades nas usinas; e o desenvolvimento de projetos de automação das usinas Palmeiras, de Rio do Cedro, e Caveiras, localizada em Lages.

Inovação e Eficiência Energética

Neste ano também houve avanço para as áreas de Eficiência Energética e de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da Celesc. Nos últimos dois anos os investimentos nessas áreas somam mais de R$ 130 milhões. Entre os destaques do período estão o desenvolvimento do projeto Educacional Celesc nos Cedups, o Bônus Motor, que recebeu um importante prêmio internacional no último mês de outubro, o Bônus Eletrodomésticos, que oferece bonificação a clientes na compra de alguns aparelhos mais eficientes, o Sou legal, Tô ligado, voltado a clientes de baixa renda, e a instalação do Sistema fotovoltaico no Hospital Bethesda, em Joinville.

 

 

O primeiro projeto da área de P&D a dar retorno em royalties à Celesc saiu do papel em 2020: a criação de um protótipo de turbinas eólicas para aerogeradores de 4,2 MW de potência, desenvolvido em parceria com as empresas Engie e Weg. A construção das novas turbinas, que estão em fase de testes no estado, recebeu da Celesc, via P&D ANEEL, um aporte de R$ 30 milhões, de um total de R$ 186 milhões.

Outra importante iniciativa desenvolvida por meio do programa de P&D, desta vez em parceria com a Fundação Certi, é a instalação de 30 eletropostos no estado, que irão compor a maior via com autonomia para carros elétricos do país, com cerca de 1,7 mil quilômetros de extensão. Sete deles já estão instalados em um trecho de aproximadamente 300 quilômetros, entre as cidades de Florianópolis (passando por Blumenau, no Vale do Itajaí), em Santa Catarina, e de Curitiba, no Paraná. Outros 23 novos eletropostos estão sendo instalados no estado.

Criação da Política para Aportes Sociais

Em 2019 foi a primeira vez que a Celesc abriu chamada pública para a seleção de projetos com distribuição de recursos para entidades sociais no estado, nas áreas da Cultura e do Esporte. Em 2020, serão investidos cerca de R$ 3 milhões em iniciativas desenvolvidas em todas as regiões do estado, sendo R$ 2,4 milhões para 37 projetos culturais e R$ 615 mil a 12 projetos esportivos.

 

Por Assessoria de Comunicação
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo