Ar polar deve congelar estradas em SC com mínima de -4°C e geada

Mudança no tempo iniciou neste domingo (28) e a massa de ar frio deve dominar todas as áreas do estado, com queda gradativa nas temperaturas.

Enviar no WhatsApp
Ar polar deve congelar estradas em SC com mínima de -4°C e geada

Polícia faz alerta quanto ao risco de gelo na pista - Foto: Arquivo/PMRv

 

Depois de um sábado de verão com máximas de 32°C, a chegada de uma nova frente fria no Sul do Brasil deve derrubar as temperaturas em Santa Catarina neste começo de semana, com chance de geada forte.

Segundo a Epagri/Ciram, órgão que monitora o tempo no Estado, há chance de chuva congelada e neve entre a tarde e noite deste domingo (28). A chance de nevar ainda é pequena, e deve ser mais acentuada nos pontos mais altos da Serra de SC. Porém, não está descartada.

Já a acentuada queda nas temperaturas será sentida em todo o estado. Nesta segunda-feira (29), conforme a Epagri/Ciram, a massa de ar frio favorece um dia com tempo aberto em boa parte do Estado e maior presença de nuvens no litoral. O dia deve ser o mais frio desta onda.

O amanhecer de segunda será com chance de geada ampla em cidades do Oeste, Planaltos, Alto Vale e Grande Florianópolis, com temperaturas entre 5°C a 11°C. Em pontos da Serra de SC os termômetros podem registrar -4°C, com risco de congelamento de pistas. A PMRv (Polícia Militar Rodoviária) alerta os motoristas que pretendem transitar pelas rodovias da região para redobrarem a atenção.

A possibilidade de congelamento da pista, em alguns pontos, torna o trânsito bastante perigoso nesses locais, uma vez que a camada de gelo formada sobre o asfalto, faz com que o veículo possa perder a tração, o que pode ocasionar a perda da direção e a consequente ocorrência de sinistros de trânsito.

Ainda de acordo com a Epagri/Ciram, a tarde será com temperaturas amenas e máximas de 12°C a 16°C nos Planaltos, Meio-Oeste, Alto Vale. Nas demais áreas não deve passar dos 18°C.

No período da tarde, a umidade deve ficar abaixo dos 35% em algumas cidades do Grande Oeste, o que pode ocasionar riscos à saúde (como dor de cabeça, desidratação, entre outros). Já no litoral, as rajadas de vento podem chegar a 55 km/h.

De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), com o passar dos dias, áreas das regiões Sudeste, Centro-Oeste e até o sul da região amazônica também serão afetadas.

 

Por nd+/Chapecó 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo