Mesmo com redução de imposto, leite continua caro em SC; entenda por que

Alíquota do imposto passou de 17% para 7%, mas não influenciou no valor final do produto.

Enviar no WhatsApp
Mesmo com redução de imposto, leite continua caro em SC; entenda por que

Foto: Reprodução Internet

 

O analista de socioeconomia da Epagri/Cepa, Tabajara Marcondes, explica que já era esperado que a redução do ICMS não iria influenciar no valor final, já que há uma oferta reduzida do produto em todo o Brasil, o que puxa o preço para cima. 

— Neste momento, não há tanta relevância do ICMS na questão do preço. Há outras variáveis que influenciam. Já era de se esperar que não iria influenciar — declara.

A primeira questão que influencia a oferta de produto é que há uma histórica sazonalidade da produção de leite. Nesta época do ano, tende a ser mais baixa, por conta do frio que afeta as pastagens. 

A segunda e mais grave é que a baixa oferta foi agravada pela elevação dos custos de produção, com o aumento de preço da soja e milho, por exemplo, presentes nas rações de animais. Muitos produtores reduziram drasticamente o volume e alguns até pararam de produzir. A redução chegou a 10% no Brasil no ano passado. 

Segundo o analista da Epagri, em junho a média de preço do leite pago ao produtor em Santa Catarina é de R$ 2,57 por litro. Ele destaca que muitos recebem bem acima deste valor e outros bem abaixo.   

A partir do mês de julho, a tendência é de que a produção de leite aumente, segundo Marcondes, já que a rentabilidade começou a melhorar para muitos produtores. 

— É bem pouco provável que os preços vão se manter nos preços atuais. Mas o nível de queda vai depender do movimento de oferta do produto — explica.

Por Fernanda Mueller – NSCTotal

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo