IPVA para carros em SC terá redução de 5,53%

Enviar no WhatsApp
IPVA para carros em SC terá redução de 5,53%

Desconto no IPVA para 2021 em SC (Foto: Felipe Nyland/BD/Agência RBS)

 

Vai cair o valor do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) em 2021. Os carros terão redução de 5,53% no ano que vem. O índice acompanha a tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), utilizada pela Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) como base de cálculo.

“Santa Catarina tem a menor alíquota de IPVA do país, que corresponde a 2% para veículos de passeio, utilitários e motor-casa e 1% para veículos de duas ou três rodas e os de transporte de carga ou passageiros. Esta redução será importante para os catarinenses, sobretudo neste momento de recuperação, dadas as perdas ocasionadas pela pandemia”, disse a secretária de Estado da Fazenda (SEF/SC) em exercício, Michele Roncalio. Para veículos destinados à locação, de propriedade de locadoras de veículos ou por elas arrendados mediante contrato de arrendamento mercantil o IPVA também é de 1%.

A redução média do imposto referente ao valor venal para os veículos emplacados no Estado será de 4,39%. Além dos automóveis, que correspondem a 57,76% da frota catarinense, haverá diminuição no IPVA de 4,74% para camionetes e utilitários; de 2,03% para caminhões; de 2,69% para ônibus e micro-ônibus; de 1,75% para motos e similares; e de 1,70% para motorcasas.

A expectativa é que a arrecadação com IPVA em 2021 seja de R$ 2,3 bilhões. Desse total, 50% será repassado, no ato do recolhimento, ao município onde o veículo estiver emplacado.

Calendário

Proprietários de veículos com placa final 1 têm até o último dia de janeiro para pagar em cota única. A Fazenda também oferece o parcelamento em três vezes. Neste caso, o prazo da primeira parcela é o 10º dia dos meses de janeiro, fevereiro e março.

Ajuda

A redução do valor do IPVA é um alívio num ano difícil em que grande parte da população empobreceu. Inflação com tendência de alta, 14 milhões de desempregados e redução de jornada e salário corroem o poder de compra de muitos brasileiros. Dados do Salariômetro, da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), apontam que quase metade das negociações coletivas realizadas entre empresas e trabalhadores no mês de novembro não conseguiram repor a inflação. Menos de 1 em cada 10 acordos terminou em reajuste com ganho real para os funcionários. Foram 47,4% dos acordos com reajuste salarial abaixo da inflação (INPC).

 

Por Renato Igor

NSC Total

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo