Em Chapecó, Bolsonaro defendeu o "tratamento imediato" contra a Covid e garantiu que "não haverá lockdown nacional

 

Em discurso na manhã desta quarta-feira (7) em Chapecó, o presidente da República Jair Bolsonaro defendeu o que chamou de "tratamento imediato" contra a Covid e garantiu que "não haverá lockdown nacional". O presidente chegou à cidade para vistoriar o trabalho feito pela prefeitura, após um vídeo compartilhado nas redes sociais em que o prefeito da cidade João Rodrigues (PSD) sugere que o tratamento precoce à Covid fez o número de casos e óbitos caírem no município.

O presidente evitou falar o termo 'tratamento precoce', usou a referencia de tratamento imediato. Ele também não falou em cloroquina ou hidroxicloroquina, mas fez referência aos medicamentos como uma opção de tratamento e que ele próprio tomou quando contraiu a doença.

Em outro trecho do discurso, Bolsonaro testemunhou contra o lockdown e disse que defende o funcionamento das atividades para combater o desemprego.

Ao lado de Rodrigues, Bolsonaro lembrou que foram colegas deputados no Congresso Nacional e que o conhece "há algum tempo". Acrescentou ainda que fez questão de visitar Chapecó para conferir as ações pessoalmente, em vez de o prefeito ir a Brasília. Além do prefeito de Chapecó, o presidente citou brevemente duas figuras políticas de Santa Catarina: a governador Daniela Reinehr e o senador Jorginho Mello, que acompanhavam o evento.

Em fala de pouco mais de 20 minutos, o presidente não falou sobre o processo de vacinação do Brasil, nem sobre o recorde mortes diárias alcançado nesta terça-feira (6). Antes de terminar, defendeu a abertura e funcionamento das igrejas para atendimento da população.

Bolsonaro não almoça em Chapecó e voa para Foz do Iguaçu, no Paraná, na sequência, para cumprimento de agenda na cidade.  

 

Autor Audio: Divulgação/Folhapress

Outras Notícias

PUBLICIDADE