Gasolina pode chegar a R$ 5 em SC, analisa sindicato dos postos de combustíveis

O acréscimo acompanha a economia brasileira e oscila entre altas e baixas.

Gasolina pode chegar a R$ 5 em SC, analisa sindicato dos postos de combustíveis

Foto: Salmo Duarte/Arquivo NSC

 

Os motoristas que deixaram para abastecer o veículo nesta segunda-feira, em Santa Catarina, já sentiram a diferença no bolso: em algumas bombas de combustível é possível encontrar preços nas marcas de R$ 4,49 a R$ 4,69 na Grande Florianópolis.

No Estado, os preços variam bastante: em alguns postos ainda é possível abastecer por R$ 4,07 o litro. Mas esse valor não deve ser mantido por muito tempo, segundo vice-presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis Minerais (Sindopolis), Joel Fernandes.

— A gasolina pode chegar a R$ 5,00 em poucos dias se os valores do petróleo e do anidro, que é uma substância usada na mistura, continuarem crescendo, e também se o dólar seguir alto — analisa Fernandes.

Outro fator que será determinante para a gasolina mais cara em dezembro é o aumento na base de cálculo do ICMS, que pode subir em 3 centavos o litro do combustível.

— Há lugares que já é cobrado R$ 5,00 — diz Fernandes, sem detalhar a cidade.

Com média de R$ 4,285 na última semana de novembro, na Grande Florianópolis, os preços tiveram um acréscimo de 5,3% no último mês, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

Se levar em consideração os últimos 15 dias, houve um aumento de 14 centavos para o revendedor. Na bomba, pode significar ainda mais. E, apesar das variações frequentes, esse acréscimo deve ser mantido pelos próximos 30 dias, ao menos, conforme pondera o representante do Sindopolis.

As variações do preço da gasolina em SC

Do preço mais baixo ao mais alto em cada variação, uma média de quanto foi cobrado nas principais cidades catarinenses em 2019.

O pico foi em maio, quando a média de preço em Criciúma foi de R$ 4,443. Em agosto o preço caiu na maior parte das cidades. Em Joinville, por exemplo, a média dos valores cobrados pelos postos de combustíveis ficou em R$ 3,699. Em setembro, porém, os preços começaram a subir novamente.

 

Por Clarissa Battistella      Por Ângela Prestes

NSC Total

Outras Notícias

PUBLICIDADE