ELEIÇÕES 2022: Eleitores podem baixar ou atualizar e-Título somente até este sábado (1)

TSE vai bloquear emissão no domingo (2), que será retomada apenas no dia 3

Enviar no WhatsApp
ELEIÇÕES 2022: Eleitores podem baixar ou atualizar e-Título somente até este sábado (1)

Imagem: Reprodução

 

Os eleitores brasileiros que ainda não baixaram o e-Título para votar nas eleições do próximo domingo (2) tem somente até o sábado (1) para baixar o aplicativo, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O app dá ao usuário uma versão digital do título de eleitor, que substitui a original de papel. Quem quer utilizar a tecnologia no primeiro turno tem de baixar o app até sábado porque no domingo a emissão estará bloqueada, sendo retomada apenas no dia 3. O mesmo vai acontecer no segundo turno, com a via digital permitida até a véspera, no dia 29 de outubro.

Dos mais de 156 milhões de eleitores aptos para votar neste ano, segundo o TSE, até o fim de agosto, 27,9 milhões baixaram o e-Título, ou seja, quase 18%.

Se o eleitor tiver a digital registrada, mas a foto ainda não constar no e-Título, um documento original de papel também deverá ser apresentado.

Além de ser usado como documento de identificação, o e-Título já oferece a consulta ao local de votação, inclusive com a atualização da seção de quem solicitou o voto em trânsito ou para pessoas com deficiência que requisitaram seção especial com acessibilidade.

O espaço determinado aparece logo na página inicial, embaixo do nome do usuário. O app ainda tem a ferramenta “Onde votar”, com mapa e geolocalização, que guia o eleitor até o local indicado.

Para quem não puder votar nesta eleição, o app também disponibiliza a possibilidade de justificativa pela internet ou ainda os pontos físicos para o eleitor justificar presencialmente. A ferramenta ainda pode ser utilizada para emissão de quitação eleitoral e de nada consta criminal eleitoral.

Quem precisar regularizar qualquer pendência com a Justiça Eleitoral pode usar o e-Título para consultar e emitir a guia de pagamento de débitos.

 

Fonte: CNN Brasil

 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo