Bolsonaro diz que vai à ONU "nem que seja de cadeira de rodas" para falar sobre Amazônia

Enviar no WhatsApp
Bolsonaro diz que vai à ONU "nem que seja de cadeira de rodas" para falar sobre Amazônia

Foto: Marcos Corrêa / Presidência da República/Divulgação

 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta segunda-feira (2), que comparecerá à abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, mesmo que esteja em recuperação de uma nova cirurgia. O evento nos Estados Unidos está marcado para o final de setembro.

— Eu vou comparecer à ONU, nem que seja de cadeira de rodas, de maca. Eu vou comparecer porque eu quero falar sobre a Amazônia. Mostrar para o mundo com bastante conhecimento, com patriotismo, falar sobre essa área ignorada por tantos governos que me antecederam — disse.

O presidente terá de retirar uma hérnia surgida no abdômen em função das três operações anteriores a que foi submetido após ser esfaqueado. O procedimento foi marcado para o próximo domingo (8).

Ainda sobre a questão ambiental, Bolsonaro ressaltou que cumprirá promessa de campanha e não demarcará nenhuma terra indígena até o final de seu mandato.

— Eu estou honrando o que eu prometi durante a campanha: não tem mais demarcações. Para mim, chega — acrescentou.

O presidente disse ainda que, diferentemente do anunciado pelo próprio governo, não haverá um pacote ambiental para enfrentar as queimadas na floresta amazônica.

— Não tem pacote. Eles (ministros) estão viajando para colher dados e ver o que a gente pode fazer. Eu até perguntei para os ministros: temos recursos? Não tem recurso — disse.

 

Por Folhapress

NSC Total

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo