Serial killer que matou professor em SC é condenado a 104 anos de prisão

Morte no Estado ocorreu em Abelardo Luz em abril de 2021

Enviar no WhatsApp
Serial killer que matou professor em SC é condenado a 104 anos de prisão

Foto: Reprodução Internet

 

O serial killer que matou um professor universitário em Abelardo Luz, no Oeste catarinense, foi condenado a 104 anos de prisão. A decisão saiu nesta quinta-feira (14). Durante as investigações, pelo menos três mortes foram atribuídas ao condenado .

José Tiago Correia Soroka está preso desde maio do ano passado. Ele foi condenado pelos crimes de latrocínio, roubo agravado e extorsão. A defesa vai recorrer da decisão, porque entendem que Soroka deve ser julgado por homicídio e não latrocínio.

As investigações apontam que o suspeito usava aplicativos de encontros para conhecer suas vítimas, todos homens. Consta no inquérito que Soroka os estrangulava e roubava pertences deles.

De acordo com a polícia, os crimes tinham como motivação o ódio e Soroka pretendia fazer uma vítima por semana.

 

Professor de SC foi uma das vítimas

O professor Robson Paim, 36 anos, foi apontado pela Polícia Civil como uma das vítimas de Soroka. Seu corpo foi encontrado no dia 17 de abril de 2021 após o pai e uma tia estranharem o fato dele ficar um dia inteiro sem mandar notícias. Ele teria sido a primeira vítima.

Robson era professor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e doutorando em Geografia na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).

Por Redação DC

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo