Novo presidente da Petrobrás defende o controle dos preços dos combustíveis pelo governo

Jean Paul Prates é contra a privatização da estatal

Enviar no WhatsApp
Novo presidente da Petrobrás defende o controle dos preços dos combustíveis pelo governo

O senador é advogado, economista, ambientalista, empreendedor - Imagem: Reprodução/TV Senado

 

O senador Jean Paul Prates (PT-RN) será o presidente da Petrobras no novo governo de Luiz Inácio Lula da Silva. A informação foi confirmada pela presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann. O anúncio oficial ocorreu nesta sexta-feira (30).

O futuro presidente da estatal integrou o grupo técnico de Minas e Energia no gabinete de transição. Ele se posiciona contra a privatização da estatal e da política de Preço de Paridade Internacional (PPI). Prates trata a política de preços dos combustíveis como “assunto de governo, e não apenas de uma empresa de mercado”.

 

Políticas de preços

Entre os principais temas da nova administração estão os preços dos combustíveis que saem das refinarias. Hoje, a Petrobras segue o PPI, que consiste em acompanhar o valor comercializado no mercado. Esse método foi adotado pelo governo Michel Temer (MDB) em 2016. De lá para cá, foi duramente criticado pela esquerda. Antigamente, os preços dos combustíveis eram controlados pelo governo.

 

Aumento dos combustíveis

Durante a semana, a decisão do novo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em não prorrogar a desoneração dos combustíveis para o próximo ano foi criticada. Com isso, o governo voltará a cobrar o imposto sobre a gasolina, o diesel e o etanol.

O impacto para o consumidor é estimado em R$ 0,69 por litro na gasolina, R$ 0,26 no etanol e R$ 0,33 no diesel.

 

Por Revista Oeste

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo