Projeto de Lei que avança em Brasília pode acabar com Corpo de Bombeiros Voluntários

Pela proposta, bombeiros voluntários deverão atuar sob comando dos militares

Enviar no WhatsApp
Projeto de Lei que avança em Brasília pode acabar com Corpo de Bombeiros Voluntários

Bombeiros Voluntários de Ibirama em acidente na BR-470 em 2020 - Foto: Ilustrativa/CBV Ibirama

 

No apagar das luzes, a câmara dos deputados aprovou um projeto de lei de 2001 que, se sancionado, afetará o trabalho dos Bombeiros Voluntários. A proposta de número 3045 possui dez páginas e trata de instituir a Lei Orgânica Nacional das Polícias Militares e dos Corpos de Bombeiros Militares no país.

O que chama a atenção e mobiliza diversas corporações voluntárias é que entre os artigos, inclui alguns itens como: ficar proibido usar o termo bombeiro para qualquer outra organização que não seja militar, mesmo que cumpra todas as funções dessa profissão e outra alteração é que todas as corporações de bombeiros voluntários agirão somente com o comando dos bombeiros militares.

No norte catarinense, o deputado estadual Vicente Caropreso (PSDB) emitiu uma nota de repúdio em defesa de várias cidades onde possuem bombeiros voluntários. Segundo ele, em Santa Catarina, esse trabalho é sinônimo de eficiência, trabalho e respeito com a sociedade.

“Deram o tiro de misericórdia contra a instituição mais bem avaliada pela população catarinense. Repudio totalmente o projeto de lei aprovado na Câmara dos Deputados em Brasília, que passa a ser avaliado agora pelo Senado. Vamos nos mobilizar contra essa aberração e que cada um faça sua parte!”, defendeu Caropreso.

Em Santa Catarina, a Associação dos Bombeiros Voluntários representa as 31 corporações que atuam em diversas regiões, inclusive a tradicional de Joinville, referência nacional no serviço prestado.

Até agora não houve um pronunciamento por parte do órgão, apenas a Associação dos Bombeiros Voluntários de Araquari que publicou uma nota de repúdio. Na publicação, o pedido é para que o senado não aprove, colocando em risco o funcionamento das corporações.

No estado, mais de 1,6 milhão de pessoas são atendidas por Bombeiros Voluntários que estão presentes em 50 municípios.

É um momento importante também para as representações catarinenses em Brasília levantarem essa bandeira em defesa de Santa Catarina.

A proposta precisa passar pelo senado e depois vai para a sanção do presidente da república. Com o recesso, deve ser avaliado em 2023.
 


Por Sabrina Aguiar/nd+

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo