Dia de perda para a música brasileira; morre Rolando Boldrin e Gal Costa

Rolandro Boldrin estava com 86 anos e Gal Costa 77

Enviar no WhatsApp
Dia de perda para a música brasileira; morre Rolando Boldrin  e Gal Costa

Foto: Divulgação

 

ROLANDO BOLDRIN

O ator, cantor e apresentador de TV Rolando Boldrin morreu nesta quarta-feira (9), aos 86 anos, na cidade de São Paulo. A informação foi confirmada pela equipe do artista a Splash.

Nascido em 22 de outubro de 1936, Rolando Boldrin entrou para a história da cultura brasileira como um dos um dos grandes compositores, intérpretes e divulgadores da música brasileira "raiz". 

 

Carreira

O sétimo filho de uma família de doze irmãos deixou a cidade São Joaquim da Barra, interior de São Paulo, aos 16 anos e se tornou ator de filmes premiados e de novelas vistas no Brasil inteiro e até no exterior, além de se tornar compositor, cantor, apresentador e um grande contados de histórias.

Entre a década de 1950 e 1980, ele trabalhou em novelas da Band, RecordTV e Tupi, como as tramas "A Muralha", "Pé de Vendo", entre outras, e conviveu ao lado de artistas importantes, como Lima Duarte, Laura Cardoso e Dionísio Azevedo. Seu último trabalho na TV foi na novela "Os Imigrantes"  na Band.

 

Por Péterson Neves e Weslley Neto/Splash/UOL

 

GAL COSTA 

Gal Costa, um dos nomes mais importantes da música brasileira, morreu nesta quarta-feira (9), aos 77 anos. A informação foi confirmada pela assessoria da artista, mas a causa da morte não foi informada.

Maria da Graça Costa Penna Burgos nasceu em 26 de setembro de 1945, em Salvador e, ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil e Maria Bethânia, se tornou uma das vozes mais importantes da música brasileira.

A cantora cancelou um show em São Paulo no fim de semana para realizar uma cirurgia para retirada de um nódulo nasal. Gal era uma das principais atrações do Primavera Sound, realizado no último fim de semana em São Paulo. Ela acabou não participando do evento.

 

Carreira

Gal Costa estreou na música aos 20 anos, ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia e Tom Zé. Entres as primeiras gravações estão Eu vim da Bahia (1965), com Gilberto Gil. O Brasil se espantou mesmo com a voz da cantora em 1968, quando gravou o álbum Tropicália ou Panis et Circenses, com Caetano Veloso, Os Mutantes e Gilberto Gil. A voz poderosa e afinada de Gal Costa, associada ao talento excepcional de Gil e Caetano, fez da tropicália um movimento que mudou os rumos da música brasileira. 

O primeiro álbum solo, Gal Costa, saiu em 1969 e trouxe músicas que entraram para sempre no repertório do cancioneiro nacional. São faixas como Namorinho de portão (Tom Zé), Se você pensa (Roberto Carlos e Erasmo Carlos) e Baby e Divino Maravilhoso, ambas de Caetano Veloso. Mais tarde viriam ÍndiaMeu nome é GalForça estranha e Noites cariocas, todas do álbum Gal tropical, lançado em 1979. O último álbum foi lançado em 2021. Nenhuma dor tem participação de Criolo, Seu jorge, Zeca Veloso e Silva.

 

Por Nahima Maciel/Correio Braziliense

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo