Tráfico de drogas cresce no Alto Vale

Na região houve um aumento expressivo de 129,4% nas ocorrências registradas.

Enviar no WhatsApp
Tráfico de drogas cresce no Alto Vale

Maior apreensão de tráfico de drogas aconteceu em Rio do Sul (Foto: Divulgação PM)

 

Um problema que vem afetando não apenas a região, mas todo o estado, Brasil e até o mundo é o tráfico de drogas e no Alto Vale houve um aumento expressivo desse crime. No primeiro semestre de 2017 foram 17 ocorrências, já no primeiro semestre deste ano foram registradas 39 ocorrências totalizando um aumento de 129,4%.

“A Polícia Militar nesse ano vem registrando mais ocorrências envolvendo mais esse tipo de delito, de tráfico e posse de drogas. A gente vê esse aumento dos índices desse tipo de ocorrência como forma positiva para a Polícia Militar, considerando que é uma pró-atividade da Polícia Militar e da região do Alto Vale que vem combatendo de forma mais forte o tráfico e a posse de drogas na região do Alto Vale”, informou o comandante do 13° batalão da PM, tenente coronel, Renato Abreu.

Ele destaca que entre as dificuldades que a Polícia Militar enfrenta para combater o tráfico de drogas em toda a região, está o modo como a atividade é realizada nas cidades.

“Por ser um crime tudo é feito de forma muito mascarada, para que as pessoas não vejam. Esse já é um dificultador, de a gente saber onde está acontecendo se não tiver uma informação de forma segura e anônima”, destacou.

Outra dificuldade é a legislação que acaba sendo menos rigorosa com menores.

“Na parte de levantamento de informações, a nossa legislação é bastante benevolente, difícil de você fazer um trabalho de forma mais incisiva, mas a gente tem trabalhado de forma muito eficiente com o Ministério Público e Judiciário, que tem nos dado todo apoio.Através do levantamento de informações conseguimos um mandado de busca e apreensão para combater esses crimes, que impactam muita gente em nosso município de Rio do Sul e de todo Alto Vale”, disse.

Outro fator que acaba envolvendo o tráfico de drogas e se tornando um agravante é a criminalidade. “Ele esta interligado com o roubo, com furto, homicídio, violência, prostituição, ao entorno do tráfico de drogas está tudo isso.

Nós temos casos de localidade de tráfico de drogas onde os traficantes buscam como funcionários, os menores por conta da legislação, desestruturando a família”, revela Abreu.

Já em relação à posse de entorpecentes o número além de expressivo é alarmante. No primeiro semestre de 2017 foram 153 ocorrências registradas, já no mesmo período desse ano foram 367 ocorrências, o que significa um aumento de 139,9%.

Principais operações

O comandante revela que esse ano entre as três principais operações que a PM atuou, a maior foi em Rio do Sul, apesar de não fazer parte do levantamento do primeiro semestre.

“Tivemos uma operação que foi fruto de levantamento de informações feito pelo nossa Agência de Inteligência, feita em março desse ano, batizamos a operação como Cavalo de Tróia, fizemos uma operação bastante incisiva no residencial Marcolino Martinho Felippe, na Barra do Trombudo, onde nós conseguimos vários mandatos de busca e apreensão e prendemos 10 pessoas.

Tivemos outra operação na cidade de Ibirama, uma operação articulada pelo Gaeco, nessa operação tivemos a prisão de quase 30 pessoas, e apreensão de valores em torno de 100 mil reais de dinheiro fruto do tráfico de drogas. Nós tivemos outra apreensão bastante significativa de um pouco mais de cinco toneladas de maconha em um caminhão que vinha do Oeste pela BR-470. Através de uma informação repassada, abordamos e logramos êxito na apreensão de mais de cinco toneladas de maconha ”, destacou.

Não apenas em Rio do Sul, mas em outras cidades o tráfico de drogas vem aumentando, um dos motivos para que isso aconteça, de acordo com o comandante, é o aglomerado urbano.

“Quanto maior o aglomerado urbano, maior é o número de problemas de todas as ordens. Geralmente em comunidades maiores a diferença social e econômica das pessoas também aumenta. O tráfico de drogas sempre vai estar instalado em aglomerados urbanos de pessoas com um nível social e econômico menor, não por culpa das pessoas com baixo índice, mas porque elas são mais suscetíveis aos encantos que esses traficantes colocam para esses jovens”, pontuou.

Programas de prevenção

Entre as alternativas de prevenção a Polícia Militar desenvolve o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) como o pioneiro e maior incentivador para afastar as crianças do mundo das drogas, sendo que mais de um milhão delas já participaram da iniciativa.

“O Proerd traz essa aproximação da criança com o policial militar desmistificando frases e chavões populares como se você não se comportar a polícia vai te pegar. Isso tudo é desconstruído quando eles veem que o policial militar é uma amigo e que está ali para trazer o melhor para ele”.

Para o comandante o programa é um incentivador para a construção de uma sociedade saudável. “É um programa que tenho um carinho muito especial por entender que é um programa muito eficiente na construção de uma sociedade melhor. É uma iniciativa que torna a nossa crianças um adulto mais consciente para o futuro e que de forma consciente vão gerar menos problemas para a segurança pública no futuro”, disse.

 

Por Tatiana Luiza Hoeltgebaum

Diário do Alto Vale 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo