Simulado do Exército inicia nesta sexta-feira em Taió

Exercícios de atuação para rompimento de barragem, resgate, entrega de alimentos, entre outros, acontecem na terça e quarta-feira

Enviar no WhatsApp
Simulado do Exército inicia nesta sexta-feira em Taió

Foto: Arquivo / DAV

 

A partir desta sexta-feira (2), Taió será o cenário do Exército Brasileiro para fazer um simulado de ajuda humanitária. Os exercícios serão realizados simultaneamente também em Indaial, no Médio Vale. O simulado termina na quinta-feira (8), e entre os exercícios estarão os rompimento de barragem, resgate, evacuação de escola, entrega de alimentos entre outros. Exercícios noturnos também estão previstos na programação.

A simulação envolverá uma série de treinamentos que reunirão além do Exército, a Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Samu e Defesa Civil Estadual. Todos os setores da Prefeitura e também a Defesa Civil de Taió, vão participar. O simulado é uma exigência do Plano Municipal de Contingência, conforme prevê a legislação brasileira (Lei Federal Nº 12.608/12, Art. 8º, XI) e por este motivo será posto em prática.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil Municipal de Taió, Jonata Petrowski Retke, o município está preparado e organizado para receber a simulação. “A organização foi feita em conjunto com o Exército, que veio aqui várias vezes, com o Batalhão de Engenharia, Batalhão que vai atuar como figuração, veio também o Batalhão de Infantaria de Blumenau, que será o pessoal que vai fazer a atuação de resgates, estamos prontos para o simulado”.

Ele explicou que as atividades vão ir ocorrendo simultaneamente, envolvendo todas as pessoas destinadas ao treinamento. “Por exemplo, no simulado vai ter uma vítima soterrada, vai os Bombeiros com auxílio do Exército, depois terá uma pessoa se afogando no rio, o Bombeiro está ocupado com o soterramento, então vai a Polícia Militar Ambiental com auxílio do Exército, e assim por diante”. Ele disse ainda, que os servidores do Município também participarão do simulado, com testes que podem ser feitos a qualquer momento. “Por exemplo será ligado para a telefonista e simulado um caso de deslizamento, ela vai atender como se fosse verdade para saber como lidar com a situação”.

Os exercícios vão retratar diversas situações, os alertas meteorológicos começam no primeiro dia, a simulação dos exercícios militares inicia às 12h de terça (6) e seguem até as 17h de quarta (7). “Do dia 2 ao 4 será de bancada, mais interno para tratar de questões burocráticas, porque vamos acionar o Grupo de Ações Coordenadas (Grac) do Município, decretar estado de calamidade pública, para então poder fazer o pedido através da Defesa Civil do Estado para ajuda humanitária da União, que é o Exército Brasileiro no caso. Lá em Brasília eles liberam o pedido para mandar o pessoal. Os militares do Exército chegam na segunda-feira e a parte crítica que vai ser a atuação, acontecerá na terça e quarta-feira. Na segunda-feira vai ser feito a montagem de equipamentos e no dia 8 a desmobilização das tropas”, detalhou Retke.

O simulado envolverá cerca de 700 homens ligados a 14ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército Brasileiro, além da estrutura de botes, helicóptero, cavalaria e engenharia de pontes. A estrutura do treinamento deve reunir uma aeronave da Polícia Civil, uma aeronave dos Bombeiros Militares, duas aeronaves da Polícia Militar, duas viaturas do Samu e um Centro de Triagem e Tratamento, dois botes e duas viaturas da Marinha, uma viatura e uma embarcação da Defesa Civil de Taió e mais 60 viaturas do Exército Brasileiro.

O treinamento que será realizado em Taió e Indaial, além de ajudar as Forças Armadas a conhecerem melhor o território de Taió, na hipótese de desastres naturais, servirá de exercício para que o Exército atue com ajuda humanitária em qualquer lugar do Brasil, ou missão internacional de desastres naturais quando for solicitado.

A Prefeitura de Taió pediu a compreensão e tranquilidade da população, já que apesar de os exercícios procurarem retratar de forma real a situação de ajuda humanitária, como a emissão de alertas, chegada das tropas, construção de pontes, resgates e a operação de barragem, a presença do Exército na cidade será somente para simulação.

 

Por Elisiane Maciel

Diário do Alto Vale

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo