Polícia Civil de Ituporanga fez escolta de medicamentos para o Hospital Bom Jesus

Ação contou com apoio de caminhoneiros que estavam mobilizados na SC350 em Aurora

Enviar no WhatsApp
Polícia Civil de Ituporanga  fez escolta de medicamentos para o Hospital Bom Jesus

Divulgação

Como vários outros setores, a saúde também enfrentou problemas para manter o atendimento durante a paralisação dos caminhoneiros. O Hospital Bom Jesus de Ituporanga, como outros hospitais do estado teve dificuldades para manter os atendimentos durante o período de 10 dias de mobilizações. Apesar de suspender as cirurgias eletivas para manter os atendimentos aos procedimentos de urgência e emergência, teve dificuldades com o estoque de medicamentos e materiais básicos necessários

Na terça-feira, 29, com intuito de repor os medicamentos e materiais necessários para manter o atendimento aos pacientes, uma força tarefa foi realizada com o apoio da Polícia Civil de Ituporanga, Samu, empresários e os próprios caminhoneiros que estavam mobilizados na SC350 em Aurora.

Os medicamentos foram transportados de Joinville até Ituporanga com o auxílio de escolta de uma viatura devidamente caracterizada da Polícia. A operação para reposição dos medicamentos para  HBJ foi iniciada ainda na madrugada, as 4h e os medicamentos chegaram a unidade hospitalar às 13h15min.

Segundo a diretora a operação de reposição de materiais foi essencial para que o hospital mantivesse o atendimento. “Temos que agradecer o empenho de todos que auxiliaram para que os medicamentos chegassem ao HBJ. Agradecemos em especial da polícia, aos caminhoneiros que estavam no bloqueio de Aurora e também se preocuparam com a situação do abastecimento do HBJ,  ao empresário Cesar Sebold e a todos que de uma forma ou outra contribuiram com essa ação",  agradece Irmã Idelir.

Durante o período de paralisação o HBJ teve dificuldades também no abastecimentos de alguns produtos essenciais para o fornecimento da alimentação adequada aos pacientes. "Tivemos falta principalmente de frutas e verduras, e pedimos a ajuda inclusive de agricultores da região", explica. A diretora acrescenta que aos poucos a situação será normalizada. "Acreditamos que com a liberação das rodovias voltaremos aos poucos a normalidade inclusive com o reagendamento das cirurgias eletivas que foram suspensas nesse período", finaliza.

Autor Texto: Authentica Comunicação

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo