Hospital Bom Jesus adere campanha do Setembro Amarelo e desenvolve ações contra o suicídio

Com materiais distribuídos em vários setores da entidade a ação quer alertar para as principais causas que levam a cometer o ato.

Hospital Bom Jesus adere campanha do Setembro Amarelo e desenvolve ações contra o suicídio

HBJ adere campanha do Setembro Amarelo e desenvolve ações contra o suicídio (Foto: Divulgação)

O comportamento suicida é considerado um sério problema de Saúde Pública, em face aos índices de ocorrência cada vez mais crescentes. Por conta disso, com o intuito de tentar contribuir para que esse índice diminua o Hospital Bom Jesus aderiu ao movimento Setembro Amarelo. 

Com materiais distribuídos em vários setores da entidade  a ação quer alertar para as principais causas e o que pode levar as pessoas a cometer esse ato que é definido como um “ato voluntario, iniciado e executado  por uma pessoa com pleno conhecimento ou expectativa de êxito”.

A campanha de conscientização conta com o apoio do Ministério da Saúde que lançou a “cartilha  de prevenção do suicídio”, que da ênfase ao tema como forma de orientar os profissionais a equipes de saúde mental, visando reduzir a taxa de suicídios, tentativas e danos consequentes desse comportamento inadequado.

De acordo com Eliane Althoff, Psicóloga Hospitalar e Clínica do Hospital Bom Jesus, os fatores estressores psicossociais são extremamente importantes. “Situação de conflito interpessoal, no ambiente de trabalho, transições, perdas, dificuldades de relacionamento e suporte social são fatores comuns e geradores de estresse, que podem desencadear (junto com os demais fatores etiológicos) os quadros depressivos e depende da intensidade da patologia ao ato suicida”, explica a profissional.

A psicóloga acrescenta que a melhor maneira de prevenir é ficar atento aos sintomas como isolamento social, perda de interesse pela vida, baixa auto-estima, desesperança e outros sintomas característicos de depressão. “Alem disso não podemos deixar de mencionar a família como peça fundamental na observação de mudança de comportamento dessa pessoa e incentivo a busca de ajuda profissional especializados para o devido tratamento”, comenta Eliane

Dados da Organização Mundial da Saúde apontam um  índice de 15 a 25% das pessoas que tentam o suicídio, serão reincidentes no ano seguinte, assim como dentre as pessoas que tentam suicídio, 10% conseguirão êxito nos próximos dez anos. Em Santa Catarina a incidência é de 71%, totalizando entre os anos de 1996 a 2001, cerca de 2.094 suicídios.

“Coletar dados sobre o suicídio torna-se um desafio, porque muitas vezes as famílias omitem o real motivo da morte, ou então tais informações tornam-se sigilosas, pois se acredita que a divulgação aberta dessas informações possa influenciar outras pessoas a cometerem um ato suicida”, finaliza a profissional.

No Hospital Bom Jesus a campanha de prevenção ao suicídio é desenvolvida pela Comissão de Educação Permanente em Saúde. E as cartilhas recebidas pelo Ministério da Saúde estão sendo trabalhadas de acordo com a necessidade e a demanda dos casos atendidos.

Authentica Comunicação Integrada

Outras Notícias

PUBLICIDADE