Hospitais de SC cancelam cirurgias eletivas por falta de materiais devido à greve dos caminhoneiros

Segundo associações, unidades afetadas são de quase todas as regiões do estado. Greve dos caminhoneiros começou na segunda (21).

Enviar no WhatsApp
Hospitais de SC cancelam cirurgias eletivas por falta de materiais devido à greve dos caminhoneiros

Hospital Bom Jesus, de Ituporanga (Foto: Hospital Bom Jesus/Divulgação)

 

Hospitais privados e filantrópicos de quase todas as regiões catarinenses estão sendo afetados com a greve dos caminhoneiros, informou a Associação e Federações dos Hospitais de Santa Catarina. Isso porque, como os caminhões não circulam, as unidades não estão recebendo com regularidade remédios, alimentos e materiais.

 

Cancelaram cirurgias eletivas as unidades:

  • Hospital Bom Jesus, em Ituporanga
  • Hospital Maicé, em Caçador

 

Estão com dificuldades de abastecimento as unidades:

  • Hospital Divino Salvador, em Videira
  • Hospital São Sebastião, em Turvo
  • Hospital Regional do Alto Vale, em Rio do Sul
  • Hospital Infantil Seara do Bem, em Lages
  • Hospital Regional São Paulo, em Xanxerê
  • Hospital São Vicente de Paulo, em Mafra
  • Associação Hospitalar Beneficente de Pinhalzinho, em Pinhalzinho
  • Fundação Hospitalar Rio Negrinho, em Rio Negrinho

 

Confira abaixo mais detalhes dos hospitais afetados.

O Hospital Bom Jesus em Ituporanga, no Alto Vale do Itajaí, suspendeu as cirurgias eletivas (com data marcada) na tarde desta quarta-feira (23). A unidade teme que, como os caminhões não estão circulando, faltem materiais, remédios e alimentos.

Com isso, o hospital resolveu dar prioridade para as cirurgias de emergência, que vão continuar sendo feitas. Os procedimentos eletivos voltarão a ser feitos quando a greve terminar e os caminhões voltarem a circular com regularidade, disse a direção.

O Hospital Maicé, em Caçador, no Oeste, também cancelou as cirurgias eletivas para garantir o estoque para procedimentos de urgência.

O Hospital São Sebastião, em Turvo, no Sul, está com dificuldades de receber materiais e medicamentos. O Hospital Regional do Alto Vale, em Rio do Sul, no Vale do Itajaí, enfrenta dificuldades de abastecimento e trabalha com o que tem em estoque.

O Hospital Divino Salvador, em Videira, também enfrenta problemas de abastecimento, mas está atendendo normalmente.

O Hospital Infantil Seara do Bem, em Lages, na Serra, foi alertado sobre atrasos de fornecedores e está usando o material que tem em estoque.

Em Xanxerê, no Oeste, a administração do Hospital Regional São Paulo está em contato com a Defesa Civil para pensar formas de evitar o desabastecimento. O combustível usado para o gerador está sendo armazenado.

O Hospital São Vicente de Paulo, em Mafra, no Norte, acompanha a greve dos caminhoneiros. A unidade informou que a coordenação do movimento tem orientado os motoristas a liberarem caminhões com carga viva, materiais hospitalares e remédios.

Greve

A paralisação dos caminhoneiros chegou ao terceiro dia nesta quarta contra o aumento no valor do diesel. Eles voltaram a passar a noite às margens das rodovias e até as 15h ao menos 60 pontos de atenção nas rodovias em Santa Catarina eram registrados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Militar Rodoviária (PMRv). Há impactos no abastecimento de postos de combustível, em serviços de prefeituras, na entrega dos Correios, nos setores de alimentos e indústria, e portos.

 

Por G1SC

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo