Uma mulher e 3 homens são presos por suspeita de crime eleitoral em Agronômica

Eles são suspeitos de comprar votos e coagir eleitores. Polícia cumpriu 12 mandados de busca e apreensão nesta quarta (26).

Uma mulher e 3 homens são presos por suspeita de crime eleitoral em Agronômica

Polícia Civil deflagra “Operação Macadame” em Agronômica (Foto: Ketrin Raitz/Divulgação)

Uma mulher e três homens foram presos temporariamente por volta das 7h desta quarta-feira (26) em Agronômica, no Vale do Itajaí, suspeitos de cometerem crimes eleitorais. A Operação Macadame foi deflagrada pela Polícia Civil, que cumpriu 12 mandados de busca e apreensão.

O delegado Márcio Maciel afirma que eles podem responder por crime eleitoral, coação de eleitores, uso de autoridade para coagir eleitores, além de associação criminosa. 

A compra de votos se dava por pagamento em dinheiro ou troca por serviços públicos, principalmente a pavimentação da rua dos eleitores, com macadame, um tipo de material usado para cobrir vias públicas, daí o nome da operação, conforme a Polícia Civil.

Cerca de 40 policiais participaram da operação para o cumprimento dos mandados.

Investigação

“Com a investigação de um roubo a uma casa em Rio do Sul em 2015, descobrimos que dois mandantes do crime eram uma assessora direta do prefeito de Agronômica e o marido dela. Por se tratar de um trabalho complexo, exigiu dedicação por vários meses, o que compreendeu o período eleitoral. Com isso, verificamos que eles estavam cometendo crimes eleitorais em favor de alguns vereadores e de um candidato a prefeito que não se elegeu”, explicou Maciel.

Segundo a Polícia Civil, além da assessora e do marido, os outros dois presos tinham ligação indireta com a prefeitura, atuavam como prestadores de serviços.

De acordo com Maciel, os mandados de busca e apreensão foram feitos na casa de suspeitos e na prefeitura para comprovar os crimes.

“A assessora do prefeito era servidora efetiva e tinha um cargo de confiança na equipe de governo. Ela usava da autoridade do cargo para coagir servidores subordinados a votarem de acordo com as orientações dela”, complementou Maciel.

Os suspeitos eram ouvidos na delegacia de Agronômica na manhã desta quarta, diz o delegado.

G1SC

Outras Notícias

PUBLICIDADE