Polícia Civil prende dois homens, recupera arma de fogo e objetos furtados em Taió

Relógios, joias e bijuterias estão entre os itens subtraídos de várias residências na cidade

Enviar no WhatsApp
Polícia Civil prende dois homens, recupera arma de fogo e objetos furtados em Taió

Foto: Polícia Civil de Taió

 

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Taió, cumpriu quatro mandados de busca e apreensão nesta quinta-feira (24), resultando na prisão de dois homens em flagrante delito e recuperação de arma de fogo, munições e diversos bens que haviam sido subtraídos de residências situadas em Taió.

Na residência de um dos investigados, foram localizadas arma de fogo (espingarda calibre doze – com numeração suprimida), munições de diversos calibres, dentre outros objetos que haviam sido subtraídos de duas residências da cidade, em datas distintas, ambos os furtos praticados neste mês de novembro. 

Diante de tal circunstância, um homem foi autuado em flagrante delito pelos crimes de posse de arma de fogo com numeração suprimida e receptação. Após a formalização do procedimento, referido indivíduo foi encaminhado ao presídio regional de Rio do Sul, onde aguarda a realização de audiência de custódia. 

Na casa de um segundo investigado, foram localizadas e apreendidas dezenas de munições de arma de fogo, que também haviam sido furtadas da casa de uma das vítimas, motivo pelo qual um homem também foi autuado em flagrante delito pelo crime de posse irregular de munição. Neste caso, foi arbitrada fiança e o preso foi liberado mediante recolhimento do valor estipulado pelo Delegado de Polícia. 

Os bens recuperados foram restituídos para as vítimas, e a armas e munições foram encaminhadas para perícia, e posteriormente também serão restituídas ao seu proprietário. 

O crime de posse irregular de arma de fogo com numeração suprimida prevê pena máxima de 06 (seis) anos de prisão, e o delito de receptação possui pena máxima de 04 (quatro) anos de prisão. Por sua vez, a infração penal de posse de munição de uso permitido tem pena máxima de três anos de prisão. 

A investigação sobre referidos furtos prosseguem visando ao completo esclarecimento dos fatos e recuperação dos objetos ainda não localizados. 

Por fim, aguardou-se a publicação sobre referida operação porquanto houve desdobramento da investigação na data de ontem, e um novo mandado de busca e apreensão foi postulado ontem mesmo, tendo sido expedido na presente data. Contudo, ao cumprir o mandado na data de hoje, apurou-se que o investigado já não estava residindo no endereço há alguns dias, inclusive, apurou-se que é foragido do sistema prisional, tendo uma pena de 19 anos de prisão a ser cumprida, pelos crimes de homicídio e tráfico de drogas.
 


Por Delegacia de Polícia Civil de Taió

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo