Extração de madeira vira caso de polícia no Alto Vale

Proprietário diz que empresa madeireira estava fazendo corte em área de preservação; empresa diz que área negociada não tem mais madeira

Enviar no WhatsApp
Extração de madeira vira caso de polícia no Alto Vale

Imagem: Reprodução

 

Destruir, danificar floresta de preservação permanente ou usá-la com infringência das normas de proteção, é crime.

Com base na lei, Polícia MIlitar atendeu a uma ocorrência nesta qunta (27), na localidade de Rio Veado em Vidal Ramos.

No local, a PM conversou com o proprietário da áream que informou que há aproximadamente 10 anos vendeu 410 árvores para uma madeireira, e que essa empresa já havia realizado a extração da madeira.

Segundo o proprietário, ele possui um processo judicial contra a madeireira, pois, a empresa, alega estar faltando madeira. A madeireira foi ao local fazer a retirada das madeiras abrindo estradas em local de preservação e reserva legal.

No local havia quatro homens, que prestavam serviço para a madeireira. A PM orientou que eles encerrassem a retira no local. 

O caso foi encaminhado para a Polícia Ambiental para averiguar a ocorrência de crimes ambientais cometidos no local.

 

Fonte: PM de Vidal Ramos 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo