Briga familiar teria motivado crime, em Trombudo Central

Corpo da vítima foi encontrado em um rio próximo ao limite de Trombudo Central e Agrolândia.

Briga familiar teria motivado crime, em Trombudo Central

Foto: Reprodução / Diário Alto Vale

 

A Polícia Civil de Trombudo Central identificou o autor do crime que tirou a vida de Walmir José de Paula, de 39 anos. Na última terça-feira (29), o corpo da vítima foi encontrado em um rio na localidade de Palhocinha, próximo ao limite entre os municípios de Trombudo Central e Agrolândia. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Aderlan Angelo Camargo, o suspeito era cunhado da vítima e o crime teria sido motivado por uma briga familiar.

A vítima apresentava três perfurações por disparo de arma de fogo na cabeça e uma no tórax. De acordo com o delegado, Waldir estava desaparecido desde o último dia 19, mas a família comunicou seu desaparecimento apenas no dia 23. Camargo explica que o crime aconteceu após a vítima agredir a mulher do suspeito. Logo depois, Walmir ainda teria tentado atingir o autor do crime com uma pedra. “Foi uma briga familiar pelo que deu para entender. A vítima teria no dia [19] agredido a esposa do suspeito e daí na sequência, horas depois, a vítima tentou atirar uma pedra no suspeito e o suspeito estava com uma arma e efetuou quatro disparos”, conta o delegado.

Após um intenso trabalho de investigação da Polícia Civil, o autor do crime, de iniciais E. O., foi identificado. “No local onde foi encontrado o corpo nós levantamos algumas informações, que já indicavam um caminho. Daí conversamos com a esposa da vítima, que passou mais algumas informações, e com base nisso chegamos a um suspeito”, explica Camargo.

Já na terça-feira, mesmo dia em que o corpo de Waldir foi encontrado, o autor do crime foi encaminhado para a delegacia de Trombudo Central, onde prestou depoimento e assumiu a autoria do homicídio depois de certa resistência. “O suspeito em um primeiro momento não confessou a autoria, mas diante das evidências que foram apresentadas a ele, ele acabou confessando”, declara o delegado.

De acordo com informações da Polícia Civil, o suspeito ainda não foi preso, mas nos próximos dias algumas diligências serão realizadas para concluir o inquérito policial e remetê-lo ao Poder Judiciário.

Além da Polícia Civil de Trombudo Central, também auxiliaram no caso a Polícia Militar de Agrolândia, o Instituto Geral de Perícias (IGP), o Instituto Médico Legal (IML) e o Corpo de Bombeiros de Trombudo Central.

 

Por Carolina Ignaczuk

Diário do Alto Vale 

Outras Notícias

PUBLICIDADE