'Dono da Lamborghini' no Brasil, que tem sede de vários negócios em Rio do Sul, é alvo em Operação da PF

Enviar no WhatsApp
'Dono da Lamborghini' no Brasil, que tem sede de vários negócios em Rio do Sul, é alvo  em Operação da PF

Sede da ICB Holding, em Rio do Sul, de propriedade de Gilson Pierri - Foto: Portal Visse

 

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (27), a Operação Technikós, com o objetivo de desarticular uma organização que praticava fraudes por meio de pirâmide financeira e outros crimes contra o Sistema Financeiro Nacional. A estimativa é de que mais de 400 pessoas foram lesadas, em valores que podem ultrapassar 30 milhões de reais.

Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal nos municípios catarinenses de Rio do Sul, Itapema, Porto Belo e Videira e ainda nas cidades paulistas de Paulínia e Osasco.

De acordo com o Portal Visse, em Rio do Sul, um dos alvos da operação é o empresário dono da suposta "filial" da Lamborghini no Brasil, que foi alvo de polêmicas após encontro com políticos em Santa Catarina.

O empresário é sócio de várias empresas envolvidas com holdings e criptomoedas. Ele ainda é alvo de diversos processos de pessoas que se sentiram prejudicadas.

No endereço que consta na Receita Federal da suposta sede da Lamborghini, na Rua Clemente Demarch, 152, existem ainda registradas outras empresas como ICB Holding, Coach de Elite, Holding Capital, Icoach Bit, ICB Credit, uma exportadora, um armazém e, pelo mapa, um escritório de advocacia.

No entanto, a empresa ICB Holding, por exemplo, usa outro endereço físico, em uma rua de nome parecido, com nome José Demarchi.

 

A operação 

A organização é composta por um conglomerado de 15 empresas e atuou entre os anos de 2017 e 2020, baseada em Santa Catarina e São Paulo, tendo captado clientes para supostos investimentos em criptoativos e outros negócios, prometendo lucros além dos existentes no mercado.

No entanto, a organização operava na forma de pirâmide financeira, mediante a negociação de valores mobiliários sem a devida autorização do Banco Central ou da Comissão de Valores Mobiliários.

Além do bloqueio e sequestro de veículos e de bens, direitos e valores mantidos em instituições financeiras e em corretoras de criptomoedas.

 

 

Por Portal Visse

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo