TCE aponta irregularidades em radares de Ituporanga

Além da Capital da Cebola problemas foram detectados em mais seis cidades de SC. Administração de Ituporanga emite nota de esclarecimento.

Enviar no WhatsApp
TCE aponta irregularidades em radares de Ituporanga

Foto: Jakson Käfer / Diário do Oeste

 

Uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE) apontou irregularidades em radares eletrônicos do estado. Conforme o órgão, alguns equipamentos foram instalados em locais onde não havia necessidade em ao menos sete cidades catarinenses.

O TCE identificou que lombadas eletrônicas instaladas em Concórdia, Joaçaba, Itajaí, São Miguel do Oeste, Ituporanga, Joinville e Jaraguá do Sul foram colocadas em locais sem um estudo sobre o número de acidentes, o fluxo de veículos e o número de vítimas.

Os dados, conforme o Tribunal, ajudam a definir onde são instalados os equipamentos para redução da velocidade. Outra irregularidade identificada pelo órgão, é que não eram feitos estudos técnicos periódicos, para medir a eficácia dos radares na redução de acidentes. Além disso, não era comprovada a aplicação dos recursos arrecadados com as multas para melhorar o sistema.

Os auditores acreditam que muitos motoristas podem ter sido multados por radares instalados de forma irregular. Em Joaçaba, a prefeitura informou que todas as lombadas foram retiradas no início de 2017.

Segundo o TCE, as prefeituras terão a oportunidade de se manifestar a respeito dos apontamentos feitos nos relatórios preliminares. Após o encaminhamento das alegações de defesa, a área técnica elaborará novos relatórios. Os processos serão submetidos à apreciação do Ministério Público de Contas.

 

Principais irregularidades em Ituporanga

- Projeto básico inadequado/incompleto, em virtude da ausência de estudo sobre os acidentes de trânsito e suas causas.

- Projeto básico inadequado/incompleto, em virtude da ausência de adoção preliminar de medidas de engenharia bem como sua análise de efetividade.

- Projeto básico inadequado/incompleto, em virtude de planilha orçamentária sem o adequado detalhamento.

- Estudo técnico sem Registro de Responsabilidade Técnica (RRT).

- Ausência de designação do fiscal do contrato e de fiscal habilitado para fiscalizar a prestação do serviço e ausência da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) de fiscalização.

- Ausência de designação de coordenador educacional.

- Não comprovação da promoção de projetos e programas de educação e segurança de trânsito.

- Ausência de comprovação da aplicação da receita arrecadada com a cobrança das multas de trânsito, exclusivamente em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização e educação no trânsito.

- Ausência de garantia do sigilo das imagens comprobatórias das infrações de trânsito e que embasam o auto de infração emitido pela autoridade de trânsito

(Pré-Processamento executado pela contratada).

- Documentação utilizada para a comprovação da efetiva prestação do serviço emitida apenas pela contratada, não sendo realizadas medições pelo Departamento de Trânsito (Processos de pagamento sem os respectivos documentos suporte).

- Medição aceita sem o efetivo recebimento dos equipamentos instalados.

- Ausência de publicidade dos locais de infração e da numeração de identificação dos equipamentos.

- Não comprovação de que participa e promove projetos e programas de educação e segurança de trânsito.

- Ausência de publicação, na rede mundial de computadores (internet), dos dados sobre a receita arrecadada com a cobrança de multas de trânsito e sua destinação.

Fonte: TCE/SC

 

NOTA PREFEITURA DE ITUPORANGA 

Em resposta a auditoria realizada pelo Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE/SC) para verificar a regularidade do projeto básico e da execução contratual dos sistemas de fiscalização eletrônica dos municípios, sendo um dele Ituporanga, a Administração Municipal vem esclarecer que:

1-    Com relação à elaboração do projeto básico que apresenta apontamentos por ser inadequado ou incompleto com relação a ausência de estudos, adoção de medidas de engenharia prévias, planilha orçamentária sem detalhamento, Registro de Responsabilidade Técnica (RRT), Anotação de Responsabilidade Técnica (ART): Cabe esclarecer que este processo ocorreu na administração passada, em 2016, de forma que o atual governo em nada concorreu na elaboração e implantação deste. 

2-    Durante a fiscalização realizada no ano passado, vários itens apontados na listagem de irregularidades já foram resolvidos, como a comprovação de promoção de projetos e programas de educação e segurança no trânsito, aplicação da receita das multas (foram realizados investimentos em 2018 em três novas sinaleiras temporizadas, sinalização vertical e pinturas nas vias), e outros acertos que necessitavam apenas de adequações no programa.

3 -   Outras medidas seguem sendo tomadas para cumprir com efetividade todos os apontamentos feitos pelo relatório, a fim de regularizar a situação do município diante deste assunto.

 

Por NSC TV

G1SC

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo