SC-427, no Vale, tem rachaduras no asfalto dois meses após revitalização

SC-427, no Vale, tem rachaduras no asfalto dois meses após revitalização

SC-427, no Vale, tem rachaduras no asfalto dois meses após revitalização (Fotos: RBSTV/Reprodução)

Dois meses depois de passar por uma revitalização, a rodovia SC-427, que liga Rio do Campo e Taió, no Vale do Itajaí, está com rachaduras no asfalto que vão de um lado a outro da rodovia, num trecho de pouco mais de 100 metros. As obras dessa rodovia foram entregues em dezembro do ano passado.

Embora a Polícia Militar Rodoviária em Taió afirme que não há registros de acidentes, quem precisa passar pelo trecho tem reclamado. “Esse asfalto não tem nem um ano, era uma estrada muito ruim”, reclama o comerciante Leonardo Daniel Silva. “Aqui é uma região de muita umidade. Temos passagem de água aqui, parece que, desde o início, o pessoal sabia que é uma região de bastante problema, e mesmo assim foi tocado para frente”, diz o motorista.

“Era só buraco, era terrível ir até Taió. Quando a gente pensa que melhorou, começa novamente”, afirma a repositora Marizete Pires.

Fissuras viraram rachaduras

Há duas semanas começaram a aparecer pequenas fissuras, que em questão de dias deram lugar a grandes rachaduras.

A Secretaria de Desenvolvimento Regional de Taió protocolou no último dia 21 um ofício junto ao Departamento de Infraestrutura do estado (Deinfra) por causa das rachaduras na SC-427. De acordo com o gerente de infraestrutura da SDR, Cleumar Zanella, a SDR vem informando o Deinfra sobre as rachaduras desde o último dia 10.

“Aparentemente, pelo meu conhecimento de engenharia, é um problema geológico, já tinha um pequeno problema, foi feito aterro para conter desnível. O projeto de revitalização da rodovia previu de forma consistente um conserto, e mesmo assim aconteceu”, disse Zanella ao G1.

O gerente diz que vem monitorando a situação dia a dia. “É um local de muita umidade, a gente teve chuvas bem fortes. Os carros estão passando, mas os motoristas estão mais conscientes. Havia cones da polícia rodoviária, e agora colocamos sinalização vertical”, diz o gerente da SDR.

‘Excesso de chuva’

O presidente do Deinfra, Wanderley Agostini, informou à RBS TV que o problema será corrigido. “Há interesse do governo e preocupação, já que ela foi recentemente revitalizada. Ninguém ia imaginar esse excesso de chuva e que iria ocasionar esse problema que aconteceu lá.”

Agostini confirmou que o órgão foi notificado do problema. “O pessoal do Deinfra está atento, já determinamos o levantamento in loco. Assim que tiver nós vamos tomar as providências para recuperar, a exemplo do que está acontecendo em todas as outras rodovias do estado”, disse Agostini.

Nesta terça (28), o gerente de infraestrutura da SDR viajou a Florianópolis para participar de uma reunião com representantes do Deinfra a respeito da rodovia. O resultado do encontro não havia sido informado até a publicação da reportagem.

“Há possibilidade de interdição em uma pista, mas não da rodovia toda, a gente vai ter que atacar uma pista de cada vez para as obras”, disse Zanella na segunda-feira (27).

Barragem

De acordo com o Deinfra, uma barragem próxima influencia a rodovia. O gerente de obras do Departamento, engenheiro Adalberto de Souza, explicou que a estrada corta a barragem de Ibirama.

Quando chove muito, ela é fechada e a água sobe quase até o nível da rodovia, encharcando o solo. Depois, quando a barragem é aberta, a água acaba levando pedaços de terra junto, prejudicando a estrada.

Na próxima semana, o Deinfra afirmou que enviará ao local três especialistas, um do Rio de Janeiro e dois de Santa Catarina, que vão analisar a situação e, depois, dar uma solução para o problema.

“Estamos muito preocupados. Em Passo Manso, deu o mesmo problema. Mas, como [a estrada] estava em obras, foi mais fácil”, disse o engenheiro. No caso da SC-427, ele acredita que será preciso um projeto de recuperação.

G1 SC

 

Outras Notícias

PUBLICIDADE