Rio do Oeste tem 80% da cidade alagada e decreta situação de emergência

Enviar no WhatsApp
Rio do Oeste tem 80% da cidade alagada e decreta situação de emergência

Foto: DAV / Reprodução

A chuva deu uma trégua na quarta-feira (7) e o nível dos rios começou a baixar em todo o Alto Vale, mas a situação ainda é crítica para alguns municípios. Em Rio do Oeste, aproximadamente 80% da cidade está alagada e pelo menos 123 pessoas estão nos três abrigos públicos abertos pela Administração Municipal. Em reunião realizada na última terça-feira (6), a Defesa Civil do município manteve a cota de inundação em 11 metros e a cota de segurança em 11.5 metros.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Rio do Oeste, Josnei Moser, ainda não há informações sobre o número de pessoas desalojadas – que estão abrigadas na casa de amigos ou parentes – e o cadastro está sendo feito desde ontem. “Na hora de tirar as pessoas [dos locais alagados], a gente leva para onde elas querem, se querem ir para abrigos ou querem ir para a casa de amigos. Então, as pessoas que foram desalojadas para a casa de amigos, a gente não tem esse controle, a gente vai começar agora”, conta Moser.

O coordenador ainda afirma que apesar do nível do rio Itajaí do Oeste ter baixado nas últimas horas, a situação visual da cidade não foi alterada. Ele conta que 80% do município ainda está alagado, e as comunidades do interior estão completamente isoladas. “Nós estamos só com uma pequena parte que não está alagada. O Centro está todo alagado”, ressalta Moser.

Desde o início das chuvas, na semana passada, a Defesa Civil do município já registrou deslizamentos, quedas de barreira, estradas e pontes danificadas. Porém, como as comunidades do interior ainda estão isoladas, não é possível saber a real situação dos bairros afetados pelas cheias. “O que aconteceu na parte das comunidades a gente não tem como chegar. A gente tem um drone, a gente pode fazer essa filmagem, mas a gente não consegue chegar em uma área mais próxima para poder trazer essas informações”, explica o coordenador.

A orientação continua sendo que as pessoas permaneçam nos abrigos, já que muitos pontos da cidade ainda estão alagados. “Por enquanto está tudo isolado. Todas as estradas estão isoladas. Não tem condições das pessoas saírem de lá ainda [dos abrigos] porque está tudo alagado”, comenta Moser.

Por Carolina Ignaczuk

Diário do Alto Vale 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo