Rio do Oeste determina toque de recolher em função de enchente

Enviar no WhatsApp
Rio do Oeste determina toque de recolher em função de enchente

Área central da cidade (Foto: Defesa Civil / Divulgação / Divulgação)

Rio do Oeste está entre os municípios catarinenses mais atingidos pelas chuvas nos últimos dias. O coordenador da Defesa Civil da cidade, Josnei Moser, destaca que toda a parte central da cidade está completamente inundada e que os moradores do interior estão ilhados. Por volta das 15h desta terça-feira, 36 famílias ou 126 pessoas estavam nos três abrigos públicos da cidade de 7,4 mil habitantes do Alto Vale do Itajaí. O município decretou estado de emergência. 

Às 16h, última medição divulgada, o Rio Itajaí do Oeste estava com 9,32 metros, sendo que a partir de 7,5 metros já começa a inundar. Moser explica que em média o rio tem subido de dois a três centímetros por hora e que a preocupação aumenta com a perspectiva de chuva até sexta-feira. 

Moser diz que ainda não é possível estipular o número de desalojados, mas que na quarta-feira terão pontos, com apoio de assistentes sociais e psicólogos, para cadastramento das famílias.  

Diante disso, a Defesa Civil do município em reunião nesta terça-feira manteve 11,5 metros como cota de segurança. 

Desde segunda-feira a polícia de Rio do Oeste definiu, por motivo de segurança, toque de recolher a partir das 22h. Em comunicado, dizem que será permitido tráfego de pessoas somente quando estas estiverem realizando mudanças.

Segundo a Polícia Militar local, não é um toque de recolher oficial, é mais de orientação. As guarnições realizam rondas nas áreas inundadas a partir deste horário e orientam que as pessoas vão para casa. Não há punições previstas. 

Moser explica que é um padrão em situação de enchente e que é para que pessoas não fiquem circulando nas áreas alagadas e para garantir a segurança dos moradores. Segundo o coordenador, toque deve ser mantido até situação voltar ao normal na cidade. Ele acrescenta que a última enchente tinha sido registrada em outubro de 2015.

Todas as escolas do município estão fechadas. A creche Chapeuzinho Vermelho é a única atendendo, exclusivamente para os pais que estão trabalhando. 

 

Foto: Defesa Civil / Divulgação

 

Em Santa Catarina mais de 27,6 mil pessoas já foram afetadas pela chuva em 89 cidades de Santa Catarina. As regiões mais atingidas são o Alto Vale do Itajaí, Planalto Sul e Oeste catarinense. Até o momento, 8.681 residência foram afetadas, deixando 2.093 pessoas em abrigos públicos e outras 1.309 desalojadas, na casa de amigos e parentes. 

 

Diário Catarinense 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo