Radar Meteorológico de Lontras não está funcionando

Enviar no WhatsApp
Radar Meteorológico de Lontras não está funcionando

Foto: Divulgação

O Radar Meteorológico de Lontras não está funcionando novamente há pelo menos um mês. Esta já é a terceira vez que o equipamento, que custou mais de R$ 10 milhões, fica desativado e agora a Defesa Civil informa que pode tentar entrar na justiça contra a empresa que vendeu o equipamento.

De acordo com o secretário de Estado da Defesa Civil, Milton Hobus, desta vez a falha foi em um cabo que fica dentro da cúpula. “É o cabo de um equipamento que gira dentro daquela bola e fica fazendo o rastreamento. E não sabemos por que soltou um parafuso e enrolou o cabo e arrebentou tudo”, esclareceu.

Ele ressaltou que como a peça danificada vem dos Estados Unidos e não é de reposição será preciso aguardar que a empresa faça a substituição. “Já ameaçamos formalmente eles inclusive de entrarmos na justiça porque aconteceram tantos problemas que a gente começa a ficar doido. Eles garantiram que até domingo chegam as peças e que vão deixar funcionando”, completou.

Questionado se a implantação do radar foi um bom investimento, o secretário afirmou que numa licitação internacional não é possível escolher o equipamento com detalhes. “Agora por exemplo foi aberto o envelope para a compra do radar de Chapecó, mas só duas empresas se qualificaram por causa dos pré-requisitos exigidos em uma licitação internacional. Quem vai ganhar? Quando abrir o envelope vamos descobrir. Não temos a possibilidade de dizer eu quero esse ou aquele. A empresa é idônea, tem radares no mundo inteiro e então estamos sofrendo. Não podemos culpar quem comprou porque não é como na casa da gente”, ressaltou.

No fim de 2014 o equipamento já ficou sem funcionar depois que peças apresentaram problemas e tiveram que ser substituídas, o que demorou mais duas semanas. Na época a Secretaria também lançou uma licitação no valor de 450 mil dólares para a aquisição de peças reservas.

Hobus diz que dessa vez o Governo do Estado vai fazer valer o seu direito de consumidor. “O prazo de garantia da máquina não está correndo ainda porque não demos o aceite do radar. Olha que absurdo”, revelou.

Ele finalizou dizendo que no tempo em que esteve funcionando, o radar foi uma ferramenta importante para o trabalho da Defesa Civil. “É um equipamento fantástico com precisão de informações. Quando ele estava funcionando nos ajudou muito e nosso pessoal está cada dia aprendendo mais a lidar com todos esses dados. Inclusive tem um software que está sendo estudado que em vez do meteorologista fazer a interpretação dos dados, esse programa faz isso de forma sistematizada. O radar é um equipamento que abastece vários países, mas infelizmente estamos tendo problemas”, concluiu.

O que diz a empresa?

De acordo com sócio diretor da Simtech, representante da EEC, fabricante do radar, César Lynch, o equipamento entrou em manutenção há algumas semanas e foi identificada a necessidade de substituição de uma peça crítica para o funcionamento adequado do sistema. “A peça foi encomendada à fábrica nos Estados Unidos e embarcada para o Brasil há cerca de duas semanas atrás, mas ficou retida na Receita Federal. Para não atrasar encomendamos uma nova peça que embarcou ontem para o Brasil, com previsão de chegar na quinta-feira”, explicou.

Ele diz que o planejamento é substituir a peça e colocar o radar em operação ainda no final de semana, mas que não pode falar em uma data exata. “Na verdade estamos trabalhando para colocar o radar em operação o mais rapidamente possível, acredito que antes do final de semana se não houver nenhum contratempo”, afirmou.

Problemas prejudicam previsões a curto prazo

O professor do Instituto Federal Catarinense e meteorologista Leonardo Neves, afirma que o radar de Lontras tem tipo muita instabilidade no seu sinal e há mais de um mês o equipamento parou de funcionar. “Para nós da meteorologia ele é muito importante. Claro que a previsão não é feita só com o radar, a gente usa modelos matemáticos, imagens de satélite e informações que o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, o CPTEC nos repassa. Só que para uma previsão de curto espaço o radar é muito importante, principalmente para os alertas”, disse.

Ele opinou dizendo que como este foi um investimento público, todas as informações sobre o equipamento também deveriam ser disponibilizadas aos cidadãos. “Dou uma grande importância para essas informações e o radar pode detectar se uma massa de ar está se dirigindo para nossa região e a intensidade dela. Com isso podem ser emitidos alertas”, disse.

Helena Marquardt / DAV

 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo