Pesquisador da Epagri de Ituporanga ganha menção honrosa no Prêmio Capes

Pesquisador da Epagri de Ituporanga ganha menção honrosa no Prêmio Capes

Foto: Arquivo Pessoal

Edivânio Rodrigues de Araújo, pesquisador da Estação Experimental da Epagri em Ituporanga (EEI), recebeu menção honrosa do Prêmio Capes de Tese 2015 da área de ciências agrárias. A Capes é a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior e premia anualmente uma tese em cada área, além conceder menção honrosa a mais um ou dois trabalhos. O resultado foi publicado no Diário Oficial da União de 31 de agosto.

Anualmente os programas de pós-graduação espalhados pelo país escolhem as melhores teses para concorrer ao Prêmio Capes. A de Edivânio foi selecionada pelo Programa de Pós-Graduação de Fitopatologia da Universidade de Brasília (UNB). Ele concorreu com pelo menos uma centena de outras teses.

“A área de ciências agrárias é a que tem mais cursos de doutorado no Brasil – 142 –, então é a mais concorrida”, explica o pesquisador. Edivânio foi premiado com a tese “Diagnose molecular e estudos epidemiológicos da mancha-bacteriana do tomateiro”, defendida no ano de 2014, sob a orientação de Marisa Álvares da Silva Velloso Ferreira. “É um reconhecimento do meu trabalho, significa que ele tem alto valor científico”, relata o pesquisador a respeito da premiação.

Em seu trabalho Edivânio identificou, por análise de DNA, as quatro espécies de bactérias que causam a macha do tomateiro. “Agora fica mais fácil classificar essas espécies. Cada espécie tem características específicas de adaptabilidade e a identificação é importante para saber que tipo de manejo aplicar”, explica.

Edivânio ingressou na Epagri em abril de 2014, um mês após ter defendido sua tese na UNB, onde também cursou graduação e mestrado. A Empresa catarinense é sua primeira empregadora e ele já está usando os conhecimentos adquiridos na carreira acadêmica em benefício da agricultura catarinense.

Por sua solicitação já estão chegando à EEI equipamentos e reagentes para extrair, ampliar e visualizar DNA. “Essa parte de biologia molecular é importante”, esclarece o pesquisador, acrescentando que seus conhecimentos acadêmicos podem ser aplicados para vários tipos de hortaliças. Ele também já aprovou junto ao SC Rural o projeto "Produção sustentável de cebola: resistência de cultivares a doenças e praga e controle com substâncias de menor impacto", que está sendo desenvolvido sob sua coordenação. Ainda atua como colaborador em outros três projetos de pesquisa e finaliza publicação científica a ser editada em 2016.

Edivânio saiu de Brasília, onde sempre morou, direto para o interior catarinense após ser aprovado no concurso da Epagri. Não se arrepende, apesar da grande distância e da diferença de clima. Ele se diz satisfeito com a receptividade dos catarinenses, com o convívio com os colegas se com as condições de trabalho que e encontro na Epagri. “Quando cheguei aqui encontrei um laboratório novo e uma equipe de trabalho muito bacana”, resume. 

Assessoria de Imprensa Epagri 

Outras Notícias

PUBLICIDADE