Partidos em SC articulam estratégias de apoio aos presidenciáveis

Forças políticas alinham visita de Dilma e promessa de Aécio para o Estado

As forças políticas catarinenses já começaram a articular, no decorrer da última semana, as estratégias de apoio aos candidatos à Presidência da República que disputam o segundo turno da eleição nacional. Com a corrida estadual finalizada no dia 5 de outubro, cada um dos principais partidos em SC, que agora se dividem entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), elaboram por conta própria as ações em prol dos seus respectivos presidenciáveis. 

PT

O comitê suprapartidário de Dilma em SC conseguiu definir uma visita da presidente para a sexta-feira, dia 17, em Florianópolis, no Centrosul, para participação em ato político com a militância e demais partidos que lhe prestam apoio. Ela chegará por volta das 10h e ao meio-dia deve embarcar para novos compromissos. Será sua primeira aparição no Estado desde que as campanhas eleitorais começaram. 

A rápida articulação da agenda é reflexo do resultado das urnas em SC, que deram a Aécio a maior vitória em termos porcentuais no país. O coordenador do comitê, Paulo Eccel, explica que as pesquisas apontavam vitória de Dilma no Estado e até então a estratégia era concentrar esforços em regiões que o tucano aparecia em primeiro lugar nas sondagens. 

na segunda-feira, como forma de reverter esse quadro, o PT catarinense começou a operação Vem pra Rua, Agora é o 2º Turno, que reuniu, em São José, líderes políticos, prefeitos, parlamentares e candidatos eleitos e não eleitos no Golden Executive Hotel. E evento foi encabeçado por Claudio Vignatti, terceiro colocado nas eleições estaduais ao governo. Hoje também está previsto um evento em Curitibanos com participação de movimentos sociais e sindicais com apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT).   

PSDB

O comitê suprapartidário de Aécio no Estado, coordenado pelo senador Paulo Bauer (PSDB), fez a primeira reunião quinta-feira e conseguiu, por telefone, uma promessa valiosa do presidenciável tucano: caso seja eleito, sua primeira visita como presidente será a Santa Catarina. O ato seria uma forma de agradecer aos eleitores catarinenses que lhe deram a maior vitória porcentual primeiro turno (recebeu 48,3% do total de votos). Agora o objetivo do partido é conseguir três votos para o ex-governador de Minas Gerais para cada um de Dilma.

No sábado, o vice de Aécio, Aloysio Nunes, esteve em Blumenau, onde fez uma caminhada pela Rua XV de Novembro e almoçou na Vila Germânica. Aproveitou para falar sobre a proposta da redução da maioridade penal, uma das propostas do presidenciável tucano. Já uma nova visita de Aécio, que já veio ao Estado em duas ocasiões, ainda não foi definida, mas continua cogitada. Os tucanos já riscaram da lista a distribuição de santinhos e agora só irão promover bandeiraços e caminhadas pelos maiores centros urbanos catarinenses. Bauer afirmou apenas que cada partido da coligação terá autonomia para articular suas ações de suporte a Aécio.  

- Cada um de nós tem competência e talento para definir a melhor maneira de buscar os votos - disse o senador. 

PMDB

O PMDB decidiu oficialmente seguir os passos da coligação de Colombo e fechar apoio a Dilma Rousseff. O presidente do partido em SC, vice-governador Eduardo Pinho Moreira e o senador eleito Dário Berger participaram da agenda de viagens junto com o governador. Moreira também foi ao almoço da bancada peemedebista na Assembleia Legislativa e pediu que os parlamentares apoiem a decisão da alta cúpula do partido. 

O PMDB, no entanto, não é unânime quanto ao tema. O líder da maior bancada do Parlamento, Moacir Sopelsa, disse que cada deputado estadual irá avaliar se e como fará o apoio à presidente. Ele explica que em algumas cidades, que são bases eleitorais dos deputados, o PMDB é aliado ao PT, mas em outras é adversário direto dos petistas, fato que ocasionaria dificuldades para declaração direta de apoio. Entendem, por outro lado, que é de bom tom apoiar a candidata do governador – uma vez que o partido é da base aliada – e o vice peemedebista Michel Temer.   

PSD

O governador reeleito Raimundo Colombo (PSD), que evitou veicular a imagem de Dilma à sua campanha no primeiro turno,cumpre agenda nas macrorregiões do Estado para pedir a prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e demais lideranças políticas, de partidos de sua coligação, que prestem apoio à petista. Começou sexta-feira no Sul e sábado visitou a Região Serrana. O apoio está sendo liderado pelo próprio governador, que em uma viagem a Brasília já gravou um vídeo, veiculado na internet, em que se diz "agradecido" e pede votos a Dilma. O presidente estadual do PSD, deputado Gelson Merisio, informou que a posição oficial do partido é de apoio à atual presidente da República. Os que não concordam estão orientados a não expressar apoio a Aécio. 

PSB

Em um evento no Hotel Majestic, em Florianópolis, a sigla reiterou o apoio a Aécio Neves. O presidente estadual, Paulo Bornhausen, durante a inauguração da fábrica da BMW em Araquari na semana passada, gravou vídeo pedindo voto para o tucano, distribuído pelo aplicativo Whatsapp para os eleitores e militantes pessebistas. Garante também que irá usar a estrutura do partido para consolidar adesão ao projeto do PSDB nacional. 

PP

O presidente estadual do PP, deputado Joares Ponticelli, afirma que a decisão, tomada nas convenções de junho, continua a mesma: reforço à candidatura de Aécio Neves. As lideranças pepistas de cada município irão se mobilizar para promover bandeiraços, caminhadas e distribuição de santinhos e adesivos. O deputado federal Esperidião Amin, o mais votado no Estado, também está com os tucanos. O ex-governador e deputado federal Esperidião Amin chegou a publicar uma carta convocando os eleitores a votarem no tucano.

Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE