Movimento sindical reforça campanha salarial dos trabalhadores têxteis

Movimento sindical reforça campanha salarial dos trabalhadores têxteis

Foto: Divulgação

A manifestação do Sititev contra a proposta do Sindicato Patronal para a Campanha Salarial 2015 recebeu reforços nesta quarta-feira (23), 56 dirigentes sindicais de 26 entidades de todo o estado integraram o protesto que envolveu a entrega de uma carta aberta.

“Este apoio é muito importante para demonstrar que os trabalhadores não estão sozinhos, todos estes dirigentes, apoiam a nossa luta, a proposta de parcelar a inflação é inaceitável, porque os empresários já repassaram a inflação aos consumidores”, diz a presidente do Sititev, Zeli da Silva.

A manifestação iniciou na Praça Ermembergo Pellizzetti, a carta que expõe a indignação do Sititev, foi entregue para a população para demonstrar que todos perdem quando os direitos de uma categoria que tem mais de 15 mil trabalhadores são lesados. Os manifestantes distribuíram a carta aberta no centro de Rio do Sul, Pouso Redondo, Agrolândia, Ituporanga e Taió e também nas portas de fábricas destes municípios.

A última proposta do Sindicato Patronal foi de parcelamento da inflação, metade em setembro e a outra metade em março do próximo ano. O Sititev não aceita o parcelamento de algo que na verdade só vai repor o que o trabalhador já perdeu, a defasagem salarial diante da inflação.

A Campanha Salarial já foi parar na justiça, foi ajuizado um dissídio coletivo, mas o Sindicato espera com o manifesto, sensibilizar os empresários para que se chegue a um acordo o mais breve possível. “Nós entendemos que além dos trabalhadores que estão sendo diretamente afetados, os empresários podem acabar sendo prejudicados, porque a justiça tem garantido o repasse da integral da inflação e o empresário terá que pagar o retroativo a agosto quando a decisão sair. Uma parcela muito maior do que se pagasse o reajuste a partir de agora, o que pode até levar ao fechamento de algumas fábricas”, diz Zeli. Os empresários que desejarem já podem fazer a antecipação que pode ser de 10 a 12%, a exemplo do que já fizeram alguns empresários.

Josiane Fontana/Assessora de Imprensa

Outras Notícias

PUBLICIDADE