Moradores bloqueiam BR-470 em forma de protesto em Rodeio

Moradores bloqueiam BR-470 em forma de protesto em Rodeio

Foto: Divulgação/Reprodução

A BR-470 parou por 15 minutos neste sábado em Rodeio. Em círculo, cerca de  50 moradores deram as mãos e rezaram pelas vítimas da rodovia federal entre os Kms 82 e 84. Zulma Frainer foi uma delas. Desde que a filha, Andreza Frainer, 38 anos, morreu,  vítima de um acidente de trânsito na ponte sobre o Rio São Francisco, ela não se conforma com a insegurança no trecho:

— Queremos um basta nas mortes. É necessário que aumente a sinalização e faça alguma melhoria nesta ponte, pois quando chove fica muita água na pista.

Andreza morreu no início da tarde do dia 3 de março, quando seguia de Rodeio a Ascurra para ir ao trabalho. Chovia e ela bateu contra um caminhão que seguia no sentido contrário.

Assim como a mãe de Andreza, Airton Souza também quer que algo seja feito no trecho. O morador de Rodeio organizou diversos protestos e em outubro fez um pedido ao Departamento de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para a instalação de placas regressivas (4, 3, 2, 1), redutor de velocidade e faixas na pista que estimulam a redução de velocidade. Segundo ele, o DNIT deu um prazo de 60 dias e como a data chegou e nada foi feito, ele resolveu organizar mais um protesto para sensibilizar o órgão:

— Fizemos uma reunião dia 21 de outubro, mas nada foi feito. Por isso, hoje nos reunimos com cartazes e fizemos orações a todas as vítimas de acidentes de trânsito.

O bloqueio da rodovia durou 15 minutos e teve apoio da Polícia Rodoviária Federal e do Corpo dos Bombeiros. Os moradores ficaram cerca de uma hora às margens da rodovia federal com cartazes e faixas. Por causa do bloqueio, houve congestionamento por volta das 10h30min na rodovia.

No mesmo local um casal de idosos morreu na noite desta sexta-feira vítima de um acidente de trânsito entre dois veículos. Outras seis pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas a hospitais da região.  

Em novembro, os moradores colocaram cruzes às margens da rodovia em forma de protesto para que as obras de duplicação também passem pela região. Nesta época, o Dnit afirmou que a implantação de placas regressivas (4, 3, 2, 1) e faixas na pista que estimulam a redução de velocidade estariam entre as melhorias que seriam feitas até o fim do ano.

Jornal de Santa Catarina 

Outras Notícias

PUBLICIDADE