Mais de 4 milhões de domicílios admitem furtar sinal no Brasil

Mais de 4 milhões de domicílios admitem furtar sinal no Brasil

Imagem Ilustrativa

Mais de 4 milhões de domicílios possuem sinal de TV por assinatura furtado no Brasil, segundo estudo apresentado pela Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA).

Enquanto a base oficial de assinantes, divulgada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), gira em torno de 18,5 milhões, conforme os dados de maio, o levantamento aponta que quase 23 milhões de pontos estão de fato conectados a programas da TV por assinatura. A diferença representa 18% do total de lares que possuem acesso a canais fechados.

A prática ilegal ocorre em todas as classes sociais, mas está mais concentrada no interior dos estados (58%) do que nas regiões metropolitanas (42%), ainda conforme a pesquisa, realizada pela H2R Pesquisas Avançadas para a ABTA, com base em 1.750 entrevistas entre os dias 17 e 22 de maio em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

ACESSO IRREGULAR É CONSIDERADO NORMAL

Entre os clandestinos, predominam consumidores com idades entre 40 e 50 anos e entre as classes C, D e E.

Para 38% dos consumidores que não possuem conexão regular, ter acesso clandestino não parece ser uma contravenção, de acordo com a pesquisa. A postura, segundo a ABTA, preocupa o setor, pois sinaliza o aumento do risco de que, considerada normal, a ação se alastre rapidamente pelo país.

O levantamento contabilizou tanto os consumidores que admitem furtar o sinal, quanto os que não assumem a irregularidade, mas sinalizaram que assistem aos programas da TV paga sem assinar.

Diário Catarinense

Outras Notícias

PUBLICIDADE