Ituporanguense viaja oito países em busca de conhecimento sobre vinhos

Após anos de estudo, Alyson Kammers Bosio planeja workshop para repassar o que aprendeu e já pensa na próxima viagem.

Enviar no WhatsApp
Ituporanguense viaja oito países em busca de conhecimento sobre vinhos

Foto: DAV / Reprodução

 

Com alguns cursos de sommelier e trabalhos na área em Santa Catarina, o ituporanguense Alyson Kammers Bosio de 28 anos viajou oito países em nome da paixão por vinhos e produções. Depois de enfrentar a pandemia na Europa, ele voltou à Ituporanga e já planeja a próxima viagem.

Uruguai, Argentina, Chile, Paraguai, Peru, Bolívia, Portugal, Espanha e até uma breve passagem por Marrocos. Esses foram os países visitados pelo ituporanguense que pretende inclusive organizar workshops para proporcionar conhecimento a outras pessoas da região.

Segundo Alyson, o interesse por vinhos vem de família. Ele conta que seu pai sempre teve restaurante e que depois de conhecer algumas vinícolas, a curiosidade só aumentou. “Já cresci em uma rotina muito próxima à do meu pai, ele tinha restaurante, comércio em geral e eu ajudava no restaurante. Na adolescência também visitei vinícolas em Nova Trento, como a Campo Largo, Vô Luiz, Girola, onde conheci alguns vinhos de mesa e fiquei bem interessado”, lembra.

Tudo começou em 2012, quando foi morar em Florianópolis. Ele conta que trabalhou nos restaurantes como sommelier de modo informal. Em 2016, participou do curso “Qualidade na Taça” pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), depois disso fez outros também  e não parou mais. Conseguiu alguns trabalhos e foi aprimorando o que aprendeu. “Adquiri certo reconhecimento, fiz alguns cursos e passei a viajar a América do Sul com o objetivo de conhecer os terroirs e o mercado de vinhos do novo mundo. Desde 2016 visitei quatro vezes as regiões de vinhos da Argentina e Chile mas também tive em regiões produtoras do Brasil, do Uruguai e da Bolívia. Tive experiências profissionais no Peru como auxiliar de cozinha e no Chile, como garçom, barman, chefe de sala, gerente geral, recepcionista de hostel e sommelier”, conta.

Ele diz ainda que o conhecimento é um processo longo e que já estuda a produção da bebida há  anos. No ano passado, por exemplo, foi convocado a liderar uma equipe de um Restopub e Hostel, em que a cidade reuniu cerca de 400 mil turistas de todo o mundo. “Sempre busquei a evolução e aprendizado, mas foi no setor vitivinicola que me apaixonei de vez por esse mundo tão complexo e diversificado. Meu foco é o aprendizado e evolução na carreira”, ressalta.

De acordo com Alyson, desde novembro do ano passado esteve na região do Minho, do Dão, do Douro e da Bairrada e trabalhava antes da pandemia em dois restaurantes simultâneamente. “Na volta das atividades dos restaurantes recebi uma proposta da rede italiana San Martino e trabalhei alguns meses também por lá, antes de tomar a decisão de fazer o Caminho de Santiago de Compostela, cruzando novamente regiões produtoras em Portugal e na Galicia, Espanha”, finaliza.

O jovem já está planejando a próxima viagem pela América do Sul e faz questão de compartilhar as experiências vividas através de um perfil de instagram, chamado @xviiibusiness.

 

Por Rafaela Correa

Diário do Alto Vale

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo