Homem é preso suspeito de estuprar as duas filhas e ter três filhos com cada uma delas em Rio Negrinho, Planalto Norte

Suspeito confessou o crime em depoimento e afirmou à polícia que todas as crianças são filhas dele

Um homem de 45 anos foi preso em flagrante suspeito de estuprar  por vários anos  as duas filhas e ter três filhos com cada uma delas em Rio Negrinho, Planalto Norte. Ele teve a prisão preventiva decretada depois de confessar o crime, em depoimento ao delegado de Rio Negrinho, Thiago de Freitas Nogueira. O homem foi encaminhado ao Presídio Regional de Mafra, na madrugada de sexta-feira.

- Ele confessou tudo e disse que não havia necessidade de fazer exame de DNA com as crianças, pois todas são filhas dele - disse o delegado.

Além das seis crianças, a filha mais nova, de 22 anos, está grávida do quarto filho dele. De acordo com o delegado, as duas meninas eram molestadas pelo pai desde pequenas. Hoje, a mais velha tem 24 anos. Segundo Nogueira, a mãe delas sabia de tudo, mas nunca teve coragem de denunciar o marido porque também era vítima dele.

- As três contaram que eram ameaçadas e constrangidas por ele. Em depoimento, elas revelaram que ele dizia que colocaria fogo na casa da família, fugiria com as crianças e as deixaria sem dinheiro e desabrigadas - relatou o delegado.

Apesar de ocorrer há anos, o crime só foi descoberto por meio de uma denúncia anônima recentemente. A investigação constatou que as três vítimas não eram mantidas em cárcere privado, mas que viviam isoladas em casas no campo e afastadas da área urbana. Elas não frequentaram à escola, não iam à igreja ou  a  locais públicos sozinhas.

Depois de confessar que estuprava as meninas desde crianças, o suspeito disse, em depoimento, que sofria de um distúrbio e que precisava de tratamento.

- As pessoas que realmente são loucas não t ê m noção do crime que estão cometendo, pois acreditam que estão fazendo algo normal, diferente mente  dele, que tinha noção da realidade - destacou Nogueira.

A Polícia Civil já solicitou o apoio da assistência social para fazer o acompanhamento das vítimas e das crianças. Mesmo assim, elas falaram, em depoimento, que pretendem se mudar de Rio Negrinho.

A NOTÍCIA

Outras Notícias

PUBLICIDADE