Falta de abastecimento de água causa mobilização de prefeitos no Alto Vale

Enviar no WhatsApp
Falta de abastecimento de água causa mobilização de prefeitos no Alto Vale

Divulgação

O prefeito de Rio do Sul, Garibaldi Antônio Ayroso, o Gariba, assim como os representantes do executivo das cidades vizinhas de Laurentino, Valdemiro Avi, Agronômica, José Menegatti, Lontras, Martina Zucatelli e Aurora, Vilmar Zandonai, assinam nesta quinta-feira (16), um ofício endereçado ao presidente da Casan, Valter José Gallina, manifestando o descontentamento com os serviços prestados pela companhia no fornecimento de água na região.

Desde o sábado (11), uma tempestade com raios causou defeito em duas bombas de sucção de água na estação localizada no bairro Albertina em Rio do Sul, reduzindo em quase 70% o fornecimento de água nos cinco municípios. Pela falta de equipamentos de reserva, todas estas cidades estão com a distribuição de água parcialmente comprometida desde o ocorrido e ainda há incerteza sobre o possível reestabelecimento completo do serviço.

Os equipamentos estão sendo consertados em uma empresa especializada da cidade de Novo Hamburgo (RS) e um deles deve ficar pronto entre esta quarta e quinta-feira, em seguida transportados para Rio do Sul para instalação.

Em contato com o presidente da companhia, com técnicos que trabalham em Rio do Sul e também com a equipe que realiza o conserto do equipamento em Novo Hamburgo, Gariba cobrou maior comprometimento para que o serviço de fornecimento de água seja reestabelecimento o quanto antes. “É inadmissível que uma população que soma aproximadamente 70 mil habitantes em nossa região fique sem água por tanto tempo e que a Casan não tenha equipamento de reserva pronto para ser instalado”, comentou o prefeito que colocou à disposição, equipamentos e operários à disposição em caso de necessidade.

O departamento jurídico da prefeitura e a Casan estudam ainda a possibilidade de decretar situação de emergência em Rio do Sul para tentar de alguma forma, acelerar o processo. A burocracia para o conserto das bombas e até mesmo a aquisição de novos equipamentos está aquém do que determina o contrato de prestação de serviços da companhia com os municípios, salientou o prefeito.

Enquanto isso, Gariba pediu ao presidente Gallina a cessão de veículos que possam fazer a distribuição de água potável para reservatórios nas cidades, principalmente em áreas mais altas, onde a pressão é menor e há desabastecimento. Há comunidades em todos os municípios atingidos que não tem mais água desde domingo.

O comunicado à Casan conterá observações feitas pela Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris), que fez um termo de notificação que explica a situação emergencial que a população vem sofrendo e o não cumprimento de princípios básicos dos contratos firmados. “Nossa intenção é cobrar medidas rápidas para regularização e também apresentar soluções para evitar problemas no futuro”, observou Gariba. Além disso, a companhia terá que explicar detalhadamente os problemas ocorridos e dar transparência às ações de melhorias, como indica o relatório da Aris.

Secretaria de Educação mobiliza escolas para manter atendimentos

A Secretaria de Educação de Rio do Sul comunica pais e responsáveis por alunos da rede municipal que fiquem atentos à lista de unidades em que o atendimento está prejudicado pela falta de água nesta semana. Todos os centros educacionais e centros de educação infantil estarão abertos e atendendo nesta quinta-feira, mas pede-se que se os pais puderem, deixem os filhos em casa ou com parentes pois a escassez de água deve prejudicar o atendimento.

A secretária de Educação, Regina Garcia Ferreira mobilizou a equipe para que compre água mineral para cada uma das 38 unidades de ensino da cidade. “Também temos recebido doações das comunidades voluntariamente e aguardamos a distribuição de água por parte da Casan com os caminhões”.

Regina salientou que todos os funcionários estão orientados a tomar cuidado com a procedência da água para o preparo de alimentos e consumo dos alunos. Mas ela ressaltou ainda a necessidade de que dentro da possibilidade, a criança não seja conduzida à escola. “Muitos pais tem dificuldade por causa do trabalho e nós compreendemos isso. As escolas estarão abertas normalmente, mas o problema nos causa este tipo de cuidado”, destacou a secretária.

Unidades comprometidas com o abastecimento de água
Haverá atendimento, mas pede-se que na possibilidade, não se leve a criança

CEI Titio Karan – Bairro Canoas
CEI Romão Trauczynscki – Bairro Fundo Canoas
CEI Ulrich Hubsch – Bairro Bremer
CEI Pinguinho de Gente – Bairro Taboão
CEI Belmarli da Silva – Bairro Canta Galo
CEI Sebastião Back – Bairro Jardim América
CEI Favinho de Mel 1 – Centro
CEI Favinho de Mel 2 – Bairro Jardim América
CEI Navegantes – Bairro Navegantes
CEI Cantinho do Amor – Bairro Itoupava
CEI Danilo Lourival Schmidt – Bairro Budag
CEI Aquarela - Bairro Laranjeiras
CE Guilherme Butzke – Bairro Rainha
CE Ricardo Marchi - Bairro Santa Rita
CE Daniel Maschio - Bairro Itoupava
CE Pedro dos Santos – Bairro Canoas
CE Roberto Machado – Bairro Progresso
CE Aníbal de Barba – Bairro Canta Galo
CE Matheus Alves Conceição – Bairro Budag

Departamento de Comunicação 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo