Deslizamento na BR-376: estimativa dos bombeiros aponta de 30 a 50 desaparecidos

Quatro veículos já foram retirados, informou Secretaria de Segurança

Enviar no WhatsApp
Deslizamento na BR-376: estimativa dos bombeiros aponta de 30 a 50 desaparecidos

Foto: Governo do Paraná/Divulgação

 

Em entrevista nesta quarta-feira (30), o comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Manoel Vasco de Figueiredo Junior, informou que os bombeiros trabalham com a estimativa de 30 a 50 desaparecidos após o deslizamento na BR-376, em Guaratuba (PR), entre Paraná e Santa Catarina.

“Não temos como precisar o número exato de vítimas porque o veículo vai de uma a cinco pessoas que poderiam estar dentro. As testemunhas identificaram que tinham carros, mas não quantas pessoas estavam nesses carros”, disse.

De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Paraná, nesta quarta-feira (30), os bombeiros conseguiram retirar quatro veículos. Três eram carros, nos quais não havia pessoas, e uma carreta, onde havia uma vítima fatal, que ainda não foi identificada e foi encaminhada para Curitiba. Duas mortes foram confirmadas até o início da tarde desta quarta-feira (30) e permaneceu em seis as pessoas resgatadas com vida até às 17h desta quarta (30).

 

Resgate

As equipes fizeram a busca de pessoas com câmeras térmicas, que podem detectar sinais de vida, mas os equipamentos não identificaram sobreviventes. Também está sendo feito o levantamento de informações de eventuais vítimas por meio da identificação das placas dos veículos e proprietários.

Bombeiros de Santa Catarina estão no local e auxiliam nos trabalhos. A operação é comandada pelo Corpo de Bombeiros do Paraná. De Brusque, o cabo Carlos Alexandre de Souza e a cadela Zaara foram enviados ao local do deslizamento.

São 54 bombeiros atuando durante o dia e a equipe do Grupo de Operações Socorro Tático (Gost), que é altamente especializada, atuando durante a noite para conseguir encontrar as vítimas do acidente que envolveu de 10 a 15 veículos de passeio e seis carretas.

 

Risco de novos deslizamentos é constante 

A rodovia está interditada nos dois sentidos e não há previsão para liberação do tráfego. As equipes também está fazendo a drenagem de pontos de permanência de água ao longo da rodovia e no topo da parte que desmoronou.

No período da tarde, houve risco de novo desabamento no local. Pontos de ruptura, por onde começaram a verter grande quantidade de água, foram percebidos. Isto ocorre pela intensificação das chuvas que já eram constantes. O risco de novos desmoronamentos cresceu.

“O trabalho tem sido feito de forma cautelosa, já que a chuva constante favorece a ocorrência de novos desmoronamentos na área. Há risco, inclusive, da pista da rodovia ceder por causa do peso do entulho”, informou a secretaria.

 

Com informações: O Município - Joinville e Tribuna do Paraná

* Atualização 19h40 - quarta (30/11)

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo