Defesa Civil de Rio do Sul recomenda atenção à moradores de áreas atingidas com cota de 8,5 metros

Defesa Civil de Rio do Sul recomenda atenção à moradores de áreas atingidas com cota de 8,5 metros

Foto: Divulgação

Com a previsão de chuvas acumuladas entre 180 e 200 milímetros entre a noite desta quinta-feira (8) e domingo (11), no Alto Vale do Itajaí, a Defesa Civil de Rio do Sul, em parceria com a Secretaria de Estado de Defesa Civil, realizou uma reunião de orientação com representantes de entidades da sociedade civil organizada e órgãos de segurança pública do município na noite desta quarta-feira (7), no auditório do Hospital Regional Alto Vale.

Com objetivo de prevenir problemas causados pelos alagamentos, a Defesa Civil trabalha com uma margem de segurança do nível do rio de até 8,5 metros, e recomenda que pessoas que moram em áreas atingidas por esta cota, retirem os bens e procurem locais para se abrigarem.

De acordo com o diretor da Defesa Civil municipal, Teodoro Silva, a situação do Alto Vale preocupa mais por causa do evento que ocorreu na região há duas semanas. “O solo está saturado, sem capacidade de absorção da água, e além disso o reservatório da barragem Sul, em Ituporanga, não está totalmente vazio, o que limita um pouco a possibilidade de manobra das barragens durante as chuvas”, destaca. Às 7h desta quinta-feira (8), o reservatório estava com o nível de montante de 15,47 metros, de um total de 31 metros, com as cinco comportas abertas. O nível do rio estava com nível de 4,20 metros.

De acordo com o diretor de Prevenção e Preparação da Defesa Civil de Santa Catarina, Major Fabiano de Sousa, a situação atual é um pouco diferente dos eventos adversos ocorridos em 2011 e 2013, por exemplo. “Nos dois eventos anteriores o solo também estava saturado e as barragens um pouco comprometidas, porém, essa proporção de chuva era bem maior e caiu em apenas dois dias, diferente do cenário atual, onde temos este índice pluviométrico acumulado menor para quatro dias, bem distribuídos”, destaca.

Em entrevista ao jornal Diário do Alto Vale, Sousa explica que qualquer cenário que aponte nível de rio antes de começar a chover é realizado de forma especulativa. “Não começou a chover ainda, existe uma previsão. Precisamos ver qual é a consequência disso na bacia do rio Itajaí. Se chover só no Vale Sul, terá uma consequência, se chover só no Vale Oeste tem outra, se concentrada e distribuída em todo o Vale tem uma nova consequência. Tudo é muito dinâmico”, argumenta.

A recomendação é que as pessoas continuem acompanhando os boletins oficiais por meio da página da Defesa Civil de Rio do Sul, no Facebook. É importante destacar que as atualizações de nível de rio e barragens é realizada de hora em hora, a partir do momento que a Defesa Civil municipal entra em Estado de Alerta, quando o nível do rio ultrapassa 5 metros, de acordo com o protocolo de trabalho preestabelecido. Os estados de trabalho da Defesa Civil de Rio do Sul divide-se em: Estado de Atenção (nível entre 4 metros e 5 metros); Estado de Alerta (nível entre 5 metros e 6,5 metros) e Estado de Emergência (nível acima de 6,5 metros).

Rafael José Beling/Assessoria de Imprensa - Prefeitura de Rio do Sul

Outras Notícias

PUBLICIDADE