Congregação das Irmãs Franciscanas de São José se despede da Irmã Irene Petry

Religiosa tinha 63 anos e lutava contra o câncer desde 2015.

Congregação das Irmãs Franciscanas de São José se despede da Irmã Irene Petry

Congregação das Irmãs Franciscanas de São José se despede da Irmã Irene Petry (Foto: Divulgação)

A Congregação das Irmãs Franciscanas de São José se despedem nesta quinta-feira, 10, da Irmã Irene Petry. A religiosa natural de Ituporanga lutava contra o câncer desde 2015, e faleceu nesta quarta-feira, 09, no Hospital Bom Jesus.

O corpo da Irmã está sendo velado na capela do Hospital Bom Jesus e às 9h da manhã desta quinta-feira, 10, será realizada missa na Igreja Matriz Santo Estevão.  Logo após o corpo será levada  para Angelina, onde às 15h30min será realizada a Santa Missa de despedida  e em seguida o sepultamento no Cemitério da Congregação das Irmãs Franciscanas de São José.

Irmã Irene Petry, filha de Bernardo Antônio Petry e Maria Sehnem Petry, nasceu em Águas Negras, Município de Ituporanga/SC, no dia 06 de julho de 1953. Era a sexta entre os onze filhos do casal. E alem dela, umas das irmãs de sangue também seguiu a vida religiosa,  Irmã Zenilda Petry. 

De acordo com a Diretora do Hospital Bom Jesus, Irmã Edelir Stupp, a religiosa estava com câncer ósseo e metástases. O tratamento foi realizado na sede Provincial em Barreiros, na cidade de São José de onde foi encaminhada para acompanhamento no Hospital Bom Jesus, onde acabou falecendo.

“Irmã Irene é da terra, é de Ituporanga. Agradecemos todo o trabalho desempenhado em prol da Congregação e pelas pessoas como religiosa e desejamos que descanse em paz”, finalizou.

Biografia de Irmã Irene Petry

Irmã Irene nasceu no seio de uma família profundamente religiosa e desde cedo foi sentindo a inclinação para a Vida Religiosa Consagrada. Ingressou no Aspirantado, em Angelina, com 19 anos de idade, no dia 25 de fevereiro de 1972. Permaneceu nesta etapa por quatro anos. No dia 14 de março de 1976 ingressou no Postulantado; no Noviciado aos 11 de fevereiro de 1977. Fez a sua entrega a Deus pela Profissão Religiosa no dia 12 de fevereiro de 1978. Emitiu os Votos Perpétuos no dia 22 de janeiro de 1984. Teve a graça de celebrar o Jubileu de 25 Anos de Vida Religiosa Consagrada no ano de 2003. Dos seus 63 anos de existência, 38 anos foram dedicados ao serviço do Reino de Deus, como Irmã Franciscana de São José. 

Irmã Irene, durante o tempo que viveu na Congregação dedicou grande parte de sua atividade ao serviço da educação, como professora, secretária e diretora de Escola. Foi também membro do Conselho Provincial por dois triênios, no período de 1996 a 2001. Trabalhou nas seguintes localidades: Fraternidade Nossa Senhora de Lourdes, em Angelina, por duas vezes, no Colégio Nossa Senhora, como professora, secretária e diretora; Fraternidade Menino Jesus, Florianópolis, como auxiliar de Classe, Fraternidade Regina Coeli, Ituporanga, como professora no Seminário São Francisco de Assis, dos Frades Menores; Fraternidade São José – Corupá, como Secretária da Escola Básica São José; Fraternidade Alverne, São Martinho, como Diretora da Escola. Depois que se aposentou no serviço do Magistério, Irmã Irene passou a dedicar-se aos trabalhos de evangelização. Foi para Honduras, como Missionária, por dois anos, de 2009 a 2011, onde se dedicou com afinco à Pastoral da Criança, cuidado da Igreja, celebrações e outros serviços. Quando voltou de Honduras, trabalhou por um ano na Fraternidade Santíssima Trindade em Guarujá do Sul, nos trabalhos pastorais da Paróquia administrada pelas Irmãs. Em 2012 dedicou-se ao cuidado das crianças no Projeto Arara Azul, em Campo Grande – Mato Grosso do Sul. A partir de fevereiro de 2013 até o dia 04 de novembro de 2016 residiu na Fraternidade do Provincialado, em Barreiros, São José, dedicando-se às mais diversas atividades internas da Casa Provincial, como: vice superiora local, auxiliar de secretaria, plantação de chás e verduras na horta. Neste ano de 2016, enquanto suas forças lhe permitiram, participou ativamente da Pastoral da Saúde na Paróquia dos Sagrados Corações de Barreiros. Tinha grande alegria de colaborar na Sopa Solidária para os moradores de Rua. Gostava dos grupos bíblicos, mas pouco conseguiu participar.

Relatos apontam que Irmã Irene foi sempre uma pessoa muito alegre e divertida, de pensamento crítico, prestativa e de grande amor à Congregação. Tinha um dom especial para os trabalhos manuais, especialmente o crochê que fazia com perfeição. Também gostava de ler e manter-se informada sobre o que estava acontecendo ao seu redor, sobretudo no mundo da política e da realidade brasileira. Tinha opinião formata e sabia argumentar o que acreditava. Cultivava um jeito todo próprio de se relacionar com Deus; amava a meditação da Palavra de Deus porque dizia que através da Palavra, fazia o diálogo com o Senhor de sua vida e de sua história. Não gostava muito de recitar fórmulas prontas, mas nem por isso deixava de participar ativamente de todas as orações em comum e devoções cultivadas pela Congregação. Se empenhou ativamente na preparação do jubileu da Congregação, mas não conseguiu celebra-lo até o fim entre nós. Ela o Celebrará com as que já partiram para a Casa do Pai.

Manifestava grande amor à vida religiosa consagrada que assumiu com grande responsabilidade e fidelidade. Por isso ficava muito triste quando uma candidata ou Irmã jovem deixava a Congregação. 

Certa vez, ao ser questionada porque queria se tornar Irmã, ela respondeu incisivamente: porque quero consagrar toda a minha vida a Deus e ser instrumento de salvação. Quero me trabalhar e ser uma pessoa realizada, que saiba viver em comunidade. Quero ser testemunho do bem, fazer o Cristo conhecido, amado e ajudar as pessoas necessitadas em suas dificuldades. Em suma, quero ser pessoa equilibrada, calma, útil a Deus, aos irmãos e irmãs e à Pátria”. 

Esta convicção norteou toda a vida de Irmã Irene. Foi uma Irmã fiel a Deus e aos Votos que professou. Sua vida e missão foi sem dúvida preciosa aos olhos de Deus e de grande riqueza para a Congregação, a Igreja e a tantas pessoas que tiveram a graça de conviver com ela e tê-la como irmã, orientadora, amiga e colaboradora. 

Desde as suspeitas de que estava com câncer, no mês de agosto de 2015 e quando se confirmou, Irmã Irene lutou incansavelmente pela vida, fazendo tudo que suas forças lhe permitiram para vencer a doença. Chás, remédios caseiros, dieta natural, exercícios, e mesmo o calvário das químico e radioterapias. Mas, quem a acompanhou de perto neste processo, sabe bem como ela foi se trabalhando e fazendo a sua entrega cotidiana ao Senhor. Compreender a vontade do Senhor faz com que a Gente sofra menos, escreveu em suas anotações. Sempre dizia que não tinha medo de morrer, mas tinha receio do sofrimento pelo qual teria que passar até chegar o momento da entrega definitiva nas mãos de Deus. E sabemos que não foi fácil esta passagem. Os seus últimos dois meses de vida foram de grande sofrimento, por causa do avanço repentino da doença que foi lhe consumindo todas as forças, até tarde de ontem, 09 de novembro, quando Deus a chamou para si e a livrou de todos os sofrimentos.

Muito obrigada de coração Irmã Irene por tudo o que foste e fizeste pelo Reino de Deus na Igreja, na Congregação e particularmente em nossa Província. Somos muito gratas por tudo. Descanse em paz. Que o Senhor te acolha na morada eterna e, lá do céu, agora com um corpo transfigurado, possas olhar por nós que ainda peregrinamos neste mundo. Peça a Deus que nos ajude em todas as necessidades e nos chame muitas jovens para o serviço da misericórdia em nossa Congregação e na Igreja. Junto de Deus, interceda pela nossa Pátria, por nós suas coirmãs, pelos teus familiares e amigos, para que sejamos fiéis à missão que o Senhor nos confiou.

                                               Angelina, 10 de novembro de 2016

Authentica Comunicação Integrada

Outras Notícias

PUBLICIDADE