Censo aponta que quatro cidades do Alto Vale perderam moradores

Números foram divulgados pelo IBGE e mostram realidades diferentes na mesma região.

Enviar no WhatsApp
Censo aponta que quatro cidades do Alto Vale perderam moradores

Foto: Divulgação / DAV

 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a estimativa populacional de todos os municípios do Brasil e no Alto Vale, os índices apontaram realidades bem diferentes. Enquanto a maioria das cidades da região teve aumento de população, em relação ao censo de 2010, quatro municípios perderam moradores.

 

 

Rio do Sul foi à cidade que teve mais aumento de população nos últimos quatro anos. O município contava com 61.198, em 2010, e em 2018 já tem 70.100 habitantes, acréscimo de 8.902 pessoas. Na cidade nascem em média 900 crianças todos os anos, o que representa 2,46 nascimentos por dia. Se avaliados os índices de mortalidade infantil e também a longevidade, que é uma das maiores do país, é possível perceber que Rio do Sul tem tendência para aumento natural de sua população. Mesmo assim, de acordo com o prefeito em exercício, Paulo Cunha, que por ser polo da região, conter universidades, mais opções de emprego e outras oportunidades, a cidade tende a ter um aumento de população ainda maior do que a média de outras locais da região.

 

“Observamos o aumento da demanda dos serviços públicos por conta disso. Rio do Sul tem muitas ofertas de emprego, empresas sendo abertas diariamente, assim como opções interessantes de lazer e um sossego de fazer inveja ao Brasil. É por isso que nossa população cresce a olhos vistos. Estamos em uma cidade que se desenvolve dia a dia e que o povo trabalha muito para fazê-la ainda melhor. Nos cabe trabalharmos para que esta demanda, principalmente por serviços de saúde e educação, seja absorvida”, explica.

 

Além de Rio do Sul, Ituporanga e Pouso Redondo também tiveram um aumento no índice populacional expressivo.
Na contramão dessa realidade, estão outros municípios do Alto Vale como Rio do Campo, Vitor Meireles e Mirim Doce onde a população diminuiu. Para o prefeito de Rio do Campo, onde o índice de 2018 apontou menos 213 pessoas do que em relação ao censo de 2010, Rodrigo Preiss, destacou que esse é um processo histórico e a redução vem acontecendo há décadas.

 

“As famílias estão tendo menos filhos, antigamente muitos tinham até 10 e hoje este número é bem mais baixo. Outra questão é o êxodo rural já que muita gente busca oportunidades em cidades maiores, mas estamos tomando algumas medidas para tentar manter principalmente o jovem e uma das ações é oferecer transporte gratuito para a universidade., o que tem feito com que eles saiam para estudar e retornem e esperamos que nos próximos levantamentos isso seja revertido.”

 

Números impactam no orçamento

Os números populacionais são importantes para todos os municípios, pois são utilizados como parâmetro pelo Tribunal de Contas da União na hora do cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios (FPM), além de referência para vários indicadores sociais. Com menos moradores, menor a verba destinada a prefeituras.

 

Por Tatiana Hoeltgebaum

Diário do Alto Vale 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo