Casan inicia construção de nova adutora na terça-feira, em Rio do Sul

Concessionária está se antecipando a uma demanda que deve ser ampliada com a tendência de que indústrias se instalem ao longo das marginais da BR-470.

Com objetivo de atender a demanda crescente de vazão, como os polos industriais, e regiões mais distantes da área central do município, a CASAN inicia na terça-feira (11), a obra de implantação de uma adutora com diâmetro de 300mm e 1.750 metros de extensão, que será instalada entre a entrada da rua que leva ao reservatório, localizada na rua Acadêmico Nilo Marchi, no Santana e o Trevo da Bicicleta. A nova adutora deverá cruzar a avenida Oscar Barcelos e passar por uma das faixas da ciclovia, até chegar a Praça Gino de Lotto.

De acordo com o engenheiro, Ednei Sandri, a CASAN está se antecipando a uma demanda que deve ser ampliada com a tendência de que indústrias se instalem ao longo das marginais da BR-470. “As regiões beneficiadas ainda não sofrem com desabastecimento, mas estamos pensando no aumento das demandas nas áreas consolidadas e ampliação das redes nas Valadas. Para minimizar manutenções e inibir intervenções na infraestrutura que será refeita na faixa de influência da obra, já foram adquiridos para as redes citadas um material de resistência diferenciada do normalmente utilizado pela CASAN, chamado PVC-Orientado, que tem resistência de trabalho cerca de 60% maior que o usual, o que nos dá segurança adicional frente aos riscos de rompimentos e de danos futuros as vias públicas”, afirma.

A empresa vencedora terá prazo de execução do contrato de 90 dias. O investimento, só nesta primeira etapa de execução, é estimado pelo Edital em torno de R$ 420 mil, além do material que já foi comprado para toda a obra e está disponível nos pátios da CASAN, que é da ordem de R$ 790 mil somando até o momento R$ 1,2 milhão. Esta é a primeira etapa de uma obra que terá aproximadamente sete quilômetros de extensão. “A obra completa vai melhorar consideravelmente a oferta de água nos bairros Taboão, Barra da Itoupava, Valada Itoupava, Navegantes, Rainha, Santa Rita, Bela Aliança, Valada São Paulo e Bremer”, diz.

Apesar dos impactos e transtornos que deve causar, Sandri explica que é uma obra extremamente essencial e que já está prevista a execução de recomposição das bases e da pavimentação em concreto asfáltico.

“Este tipo de obra estrutural que prepara o município para o crescimento ordenado e com impactos negativos mínimos e temporários, sempre conta com o nosso apoio. Além disso, os investimentos na melhoria do serviço de distribuição de água deve ser contínuo, sempre atendendo as reivindicações da comunidade”, diz o prefeito de Rio do Sul, Garibaldi Antônio Ayroso, o Gariba.

Rafael José Beling/Assessoria Prefeitura de Rio do Sul

 

Outras Notícias

PUBLICIDADE